Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto


Que estranha forma de sentir
Aquela que trago por dentro,
Sou sofrida, não vou mentir,
Vivo num eterno lamento!

Que raiva, tenho de mim,
Quanto queria eu mudar,
Por mais que tente, no fim,
Hei-de assim, continuar!

Chamaram-me pois, chorosa,
Disseram, que só sei lamentar,
Mas, decerto quem o disse,
Nunca sofreu por amar!

É uma nostalgia divina,
Que em meu coração, se gera,
Mas dá vida á vida e m’ anima,
Nem que seja, só uma quimera!

Estranha, esta forma de vida,
Que bizarra, forma de amar,
Não me sinto arrependida,
Hei-de assim, me findar!
Aguarela Matizada
Enviado por Aguarela Matizada em 07/10/2006
Reeditado em 03/01/2010
Código do texto: T258242

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Aguarela Matizada
Brisbane - Queensland - Austrália, 57 anos
266 textos (10830 leituras)
8 áudios (206 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 02:36)
Aguarela Matizada