Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Revolta

Meu corpo transpira
minhas mãos derretem-se,
meus lábios são chama.
Caminho com dor
rastejo procurando alívio
quero água
para matar o meu delírio.
Olho em volta
um rosto, milhões de rostos
desfigurados
isentos de humanidade
gestos nojentos
o sorriso
uma imagem crápula
as mãos
tenazes para saciar vícios.

Quero, grito e morro
o coração verte angustia
o cérebro
é como lagar,
pisa-se até transformar tudo
numa massa líquida de pouco.
Gritar para pararem
é sinal de demência.
Mas ignorar
as minhas angústias
a minha revolta,
é sinal de permissão
e não o consinto.


Rosa Maria Anselmo
Rosa Anselmo
Enviado por Rosa Anselmo em 11/10/2006
Código do texto: T262025
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Rosa Anselmo
Portugal
11 textos (186 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 18:37)