Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Teus jogos

... ela não era o tipo de mulher que se contenta com um olhar
queria pegar e ter e arder, queimar
e suportar o peso da paixão de um homem
ainda que breve...

... mas que fosse sincero e ele nunca teria coragem
de se revelar. Não por ela. Ele precisava de todas...


O caminho é feito a cada passo
e se a dor é cruel a força é minha
c'a flecha na mão ou a corda em laço
a tribo eu crio e ninguém adivinha
aprendi desde cedo e por instinto
que o instante é feito de instantes
que não se mistura cerveja e vinho
e que nada nunca será como antes
mesmo os entremeios de convicções
ou as mesclas de muitas libidos
não faz com que a mão aos tesões
sirva de corte de farra aos bandidos
os momentos excitantes, os segredos
não serão abismos nem ninhos
não estarão à coragem nem aos medos
nem estarão aos beijos e carinhos
se tornaram enredos, passados, distantes
de mentira e erro de uma triste peça
de personagens solitários, nunca amantes
ao escuro da vida, até que amanheça.
Maria Quitéria
Enviado por Maria Quitéria em 16/11/2006
Código do texto: T292946

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (http://recantodasletras.uol.com.br/autores/mquiteria). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Maria Quitéria
São Paulo - São Paulo - Brasil
1098 textos (344676 leituras)
1 áudios (2463 audições)
4 e-livros (3952 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 19:14)
Maria Quitéria