Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

POLEIROS EMPOEIRADOS

Empresto-me às verdes vertigens
Suplico ao brilho de teus olhos virgens
Que experimente a paisagem do espanto
E que aceite – ao menos uma vez
a cor e a dor do encanto

Além das alegrias engaioladas
Além das nossas vidas empoleiradas
em uniões, repartições, nuvens e calçadas
Há um mundo! E o mundo passa...

Por de trás e pela frente das vidraças
Lustrosas, vistosas, reluzentes, opacas
O mundo passa, o tempo passa
Tudo passa, tudo são passos

Nessa vida, não há pior castigo
Carregar-se pela imensa estrada
Como se já houvesse morrido

Prefiro o horror e o sofrer do momento
À toda uma vida regada a morno tormento!
Poleiros, letreiros, poeira e vento...
Peter Wilde
Enviado por Peter Wilde em 10/08/2011
Reeditado em 22/01/2014
Código do texto: T3152641
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Peter Wilde
São Paulo - São Paulo - Brasil
79 textos (1025 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/08/17 20:55)