Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sem Nome...

Teclas que teclo
pranto e alegrias, sinto
quando as toco
Teclas que me desesperam

Acorrentam-me a lembranças
cercam-me de esperanças
dignas, indignas, banais
Mais nem tudo, tanto faz

Teclas que choram
enquanto também choro
Teclas que se alegram
enquando mostram que me supero

Teclas ativas...
Com elas crio vidas
Ponho-me longe de vinganças
Crio mundos e esperanças

Brinquedo que adoro
letras, palavras, imaginação
Sutilezas incompreensíveis
Incompreendidos são modos

Repaginar paginas e novamente paginar
Inicio meio e fim, fim...
e meio e vida e morte

Vida... vida...
Morte, nebuloso destino
Começo, começa... delato, relato
Renego o descaso

Perpetuo em seu coração
o gosto nobre da minha ilusão

Confusões, destratos
Estragos estranhos, abstratos
Nas entranhas do simples compasso
Atenho-me a todos fatos

Teclas que me tocam
Que me repreendem
Que me afetam
Aí transponho o meu universo

Procuro colocar em tudo meu simples
mais sentido e puro verso
Não espero o inverso

Nem admito que ninguém me limite
Nem espero que alguém se habilite
e queira me enganar

Senão serei a dor constante nesse coração
por saber que ainda existe uma pessoa
que não entende que um ser
É pura emoção...

** Gostaria de receber sugestão de Nome: para este Texto...

Orlando Miranda
Enviado por Orlando Miranda em 20/08/2005
Reeditado em 20/08/2005
Código do texto: T43975
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Orlando Miranda
São Paulo - São Paulo - Brasil
58 textos (3303 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 11:38)
Orlando Miranda