Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AUTO RETRATO EM FRENTE ÚNICA

" And He said to another man, "Follow Me". But the man aswered, Lord, allow me to go first and bury my father." Jesus replied to him, "Let the dead bury their dead, but go you and preach about the kingdom of God." - Luke 2 59-60

       I

Sou o resto do copo
O fundo do prato
sou cinza de mato
largada no chão.
Do tudo sou nada
Sou pobre diabo
Vassoura sem cabo
Manteiga sem pão...
Sou meio espírita
Quase católico
Um ateu diabólico
Uma coisa esquisita...
Visto-me sem esmero
Pareço um homem sério
Um bode e um mistério
Vida:noves-fora, zero...
Sou meio sagitariano
Do segundo decanato
Um parvo, boçal insano
Nascido no meio do mato...
Poliglota  falido
Sacripanta sem remédio
Músico mal fodido
Frasco natural do tédio...
Vagando sozinho
Vagando na rua
Cantando pra lua
Eu canto em vão...
Vagante nesta vida
E nas outras que advirão
Criatura perdida
Em sombras de aceitação...
Sou as pirâmides do Egito
Sou o raio-que-o-parta
Sou um Cruz-Credo, uma lenda
Sou a  ruína de Esparta...
Irmão degenerado
Fiho desnaturado
Amigo destrambelhado
- Inimigo? -Coitado!...
Nem quente nem frio
Mas morno inconstante
Não há quem aguente
Suportar-me um instante...
Sou a alcova sem amante
Sou o romance sem luar
Sou feliz e sou farsante
Tão feliz que vou chorar...
Um gato-pingado
Um leão desdentado
Um porco cevado
Um veado mal assado...
Eu não sou nada.
Não sou ninguém
Somente um doido-varrido
Que nem lágrima mais tem.













Marcos Aurelio Paiva
Enviado por Marcos Aurelio Paiva em 31/08/2005
Código do texto: T46485
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marcos Aurelio Paiva
Reino Unido, 42 anos
32 textos (1952 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 00:41)
Marcos Aurelio Paiva