Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Novos campos, novos tempos


Há dores que o animal não sente
Que vem antes de qualquer repente
E faz com o que sente
Parecer demente aos olhos que nada vê

É mais d´alma porque sofre
É mais sofrida porque sabe
E não vê o quanto tem de vida
Que não morre só porque é destino

Essa espera demorada
Porque é tempo
E todo tempo decompõe em frações de nada
O medo de se perder tudo por tão pouco tempo

Não quero prolongamento da esperança
Quero ser (re)evolução contínua
Simplesmente por existir a realidade de ser sempre
Não mensurável, mas que contenha o infinito
leandro Soriano
Enviado por leandro Soriano em 11/09/2005
Código do texto: T49686
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
leandro Soriano
Santos - São Paulo - Brasil, 59 anos
199 textos (8375 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 12:59)
leandro Soriano