Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

BREVE

Havia brevidade naquele amanhecer
“Parecia urgente sentir a vida
e a falta dela no pulmão, tão voraz”.
E agora?
Onde esta o avesso daquela vontade
também chamada saudade,
se não, em um abraço pendente?
Qual seria o lugar daquela pressa esperançada?
Alguém ai, se lembra do que?
Dessa dor que consegue passar como sendo
eternidade, dessa falta que tanto move
Desnudando e revelando coisas afins...
Sempre ele, no afã de mergulhar,
Sempre após o disparo...
Em meio a neblina ha a alma açoitada
por essa truculência nas palavras...
E dai?
Sempre restam essas paredes como dantes,
este pedido de socorro sem qualquer resposta.
Somos humanos, tão passíveis de erros,
do nada já retirante, em vulneráveis passos
restando- nos...
Toc,  toc , toc Meia Noite! Possibilidade em casa?
Vera Lúcia Bezerra
Enviado por Vera Lúcia Bezerra em 08/09/2015
Reeditado em 09/09/2015
Código do texto: T5375554
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Vera Lúcia Bezerra
Brasília - Distrito Federal - Brasil
147 textos (2615 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/09/17 19:40)
Vera Lúcia Bezerra