Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Prescindível


Quantos amores um peito pode suportar
Sem ser chamado de masoquista?
E fui cair logo por ti, o protótipo do impossível
Em jogos de azar, ter sorte é mais importante que competir
E surges e somes e reapareces apenas para salvar
De forma vã e egoísta, as minhas esperanças da forca
Pensas em monopolizar o meu apreço, e por isso me contornas
Com pequenas fábulas que falam de promessas
Mas saiba que o tempo esquecerá o teu endereço
Assim como faz com aqueles que impressionam
Sem fortalecer a cicatriz com novos cortes longitudinais
E, da profundidade, um monte se ergue
Colocando, apenas um de nós, no topo
Do fogo, do jogo, do riso e do gozo

Bernardo Almeida
Bernardo Almeida
Enviado por Bernardo Almeida em 27/08/2007
Código do texto: T625473

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para o site www.bernardoalmeida.jor.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Bernardo Almeida
Salvador - Bahia - Brasil
10 textos (67 leituras)
3 áudios (37 audições)
1 e-livros (22 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/08/17 13:08)
Bernardo Almeida