Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

As diferenças são sagradas


Ele queria que ela desse um adeus ao mundo
Mas como, se ainda não morreu?
O destino tinha mostrado que nada é dela,tudo dele.
Mesmo assim com muito jeito ela deu um adeusinho.

Um presente suportável em fragmento
Efêmero como tal , a anciã sobrevivente das gerações perdidas
Foge ao máximo do sofrimento.
Sabe que há dias de uma falsidade incrível
Como a vida da gente.

Será que é morta viva?
Reza, benze, espera milagres a todo instante.
Olha o mundo lá fora bem distante.

O atormentado homem vira a folha
Como o piolho de cobra bem no leito
Ciumento não sabe amar
Corrompido maltrata o outro.

Florzinha já cansada ,atormentada.
Nada mais de sonho é noite escura
 Para cima e para baixo, correndo sem querer nada fazer.
Enrola, sente culpa no disfarce.
Essa condição mesma de falta de engajamento
Assim passam os dias
Sendo azedada, esfolada e alienada.


 




Neuza Ladeira
Enviado por Neuza Ladeira em 01/09/2007
Código do texto: T633362

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Neuza Ladeira
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 67 anos
259 textos (4919 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/17 04:27)
Neuza Ladeira