Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Rotina

 

De repente eu me pego aqui parado, observando as mesmas coisas de sempre.
Os mesmos rostos, os mesmos olhos, os mesmos sorrisos, os mesmos gestos, as mesmas conversas, enfim o mesmo caminho, o mesmo desejo, o teu coração, o teu amor.
Mas mais do que de repente, o mesmo presente, com o mesmo passado, vai me mostrando o mesmo futuro, com a mesma incerteza. Será que ela vem do mesmo jeito, com o mesmo carinho, com o mesmo querer, será que não vai me deixar novamente no mesmo passado ?
Mas o meu coração ainda é o mesmo, com as mesmas ilusões, mesma necessidade, parece até que tem as mesmas batidas, pois o meu amor ainda é o mesmo, não se importa com o meu presente, se vai me deixar com o mesmo passado, com o mesmo futuro incerto, pois acredita que um dia ela virá do mesmo jeito, com o mesmo carinho, com o mesmo querer.
Acho que devo dar um jeito nesta situação...
Vou continuar observando os mesmo rostos, os mesmos olhares, os mesmos sorrisos, os mesmos gestos, no mesmo caminho, com o mesmo desejo, o teu coração, o teu amor, pois no fim dá tudo na mesma, ...

                      Vou continuar amando.



                  Silvio Cavalheiro,  “ O Cara.! “

Silvio Cavalheiro
Enviado por Silvio Cavalheiro em 02/11/2005
Reeditado em 25/11/2005
Código do texto: T66725
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Silvio Cavalheiro
Canoas - Rio Grande do Sul - Brasil, 47 anos
18 textos (357 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 13:07)
Silvio Cavalheiro