Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DISTANTE COTIDIANO MULTIFACETADO

Momentos resignados...

Sempre acordo dentro da sombra  do dia,
com o ar limpo e gélido dos vôos em sonho,
presencio o nascedouro da luz que vinha,
na cama com pés alcanço o chão e ponho!

Momentos acordados...

No banheiro me deparo com alguém
estranho, mas  familiar, esfrego a cara.
Me encaro escovando a mente de um refém;
eu dentro de outro ser, filho da casa!

Momentos viciados...

Lavo todo o corpo, lavo toda a alma,
lavo os mais limpos sonhos que já esqueci;
largo do meu protegido lar, da calma
Parto drogado, cafeínado de mim.

Momentos predadores...

Sou do dia, a cria sem o brilho do sol;
Chego ao trabalho para me esquecer;
E ser o filho animal, filho capital,
filho racional, tem que sobreviver!

Momentos cansados...

Ganhando o dia , o dia todo foi embora.
Fujo do universo dos olhos sem rosto.
Não tenho nada mais a dizer agora,
e volto correndo encontrar o meu outro.

Momentos apaziguados...

Em casa eu observo um moribundo triste;
Banho o corpo e a alma, sai mundo daqui;
Renovado, menos do dia que não tive
Que lembro, tardiamente, em sonhos, de mim.

Vão-se as horas marcianas ... insanas...,
e ficam as  noites que são minhas

Naldo Coutinho
Enviado por Naldo Coutinho em 08/11/2005
Código do texto: T68627
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Naldo Coutinho
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
111 textos (6977 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 07:08)
Naldo Coutinho