Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Liberta-me ... ó vento.

Grito ao mundo , que eu já me perdi...
Desafio o vento ... na minha vida;
Foram negros erros, que cometi.
Sangra a pétala por mim ferida.

Correu o sangue de dor e ternura,
dando a cor vermelha ... à doce flor
e nesse fruto, da minha loucura;
Foi apenas ilusão ... esse amor.

Cantem andorinhas na primavera;
Sedutora sereia ... que passou.
Meu Deus , como neste mar eu quisera,
gritar ao mundo, que a sereia amou.

Grito de louco, preso na garganta...
Tal como a rosa esmagada no vento,
o grande doido, que assobia e canta,
mas não varre meu triste pensamento.

Tira-me esta dor ... esta poesia;
Martírio que tenho no coração.
Vem a mim ó vento ... porque eu queria,
desfazer-me ... desta triste ilusão.

 Essa mulher , que foi minha sereia;
Num leito de rosas eu fiz amor...
Como o seu perfume ... ainda me enleia
e em meus lábios ... está o seu sabor.

Varre de mim esta minha ilusão,
esse vento agreste lá do norte...
Vem ...limpa o amor deste coração,
tira de mim... esta tão ruim sorte.


António Zumaia

Sines – Portugal

António Zumaia
Enviado por António Zumaia em 13/11/2005
Código do texto: T70897
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
António Zumaia
Portugal
320 textos (20399 leituras)
71 áudios (5404 audições)
5 e-livros (1754 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 05:01)
António Zumaia