Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DELÍRIO

DELÍRIO


                                        À Ninfa paulistana
                                      ANA VALÉRIA SESSA


Ana dos meus dias,
Ana dos mil dias,
Em águas cristalinas
Teu corpo é porto de
Turmalinas.
Teus seios são picos de amaralinas,
Em teu ventre bailam dançarinas algas marinhas.
Ana dos meus dias,
Ana dos mil dias
És desejo que jamais sacia,
És ânsia que me asfixia, embriaga-me,
E lanço-me em tua morada.
Ana dos meus dias,
Ana dos mil dias
És ninfa coroada,
És deusa incensada
Em noites de Lua que divaga embriagada, alucinada.
Ana dos meus dias,
Ana dos mil dias
Contemplo-te toda adornada
Com minhas profanas quinquilharias
Tecidas em fios de ouro e prata
Anos a fio.
Ana do cio,
Ana do ócio,
Do lírio,
Delírio.



Prof. Dr. Sílvio Medeiros
Campinas, é primavera de 2007.
 

SÍLVIO MEDEIROS
Enviado por SÍLVIO MEDEIROS em 28/10/2007
Reeditado em 28/10/2007
Código do texto: T713925

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor (Prof. Dr. Sílvio Medeiros) e o link para o site www.recantodasletras.com.br/autores/silviomedeiros). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
SÍLVIO MEDEIROS
Campinas - São Paulo - Brasil, 61 anos
268 textos (360702 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/17 20:35)
SÍLVIO MEDEIROS