Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Nau à Deriva

Eu, nau à deriva
Em busca de porto seguro.
Singro mares revoltos.
Flutuo.. refuto e me deixo levar.
Em tempos de tormentas,
Lanço ao léu mensagens em garrafas
Hermeticamente fechadas.
Tentando estabelecer comunicação.
Não obtenho resposta. Tudo em vão!
Também já mandei e-mail,
Resposta, porém, não veio.
O meu desejo é que viajes comigo até o fim.
Fim do horizonte, aonde desejo chegar.
E curtir os derradeiros fachos da luz do dia.
É preciso deixar que as horas nos esqueçam.
Que nossos olhos estacionem
Deixando a brisa que vem,
Trazendo sons que nos enganem.
Imaginando ausências grandes e pequenas
Na tentativa de trazer ao presente
Um tempo que nem mais existe,
Em luta para manter os momentos felizes,
Os filhos que tivemos, as pessoas que amamos.
Deixar que dentro de nós os sonhos se organizem,
Para podermos enxergar as saídas mais bonitas,
E alcançarmos as portas mais abertas para os sonhos
Que um dia nós, talvez timidamente, sonhamos.
Transpondo os pontos limítrofes das ansiedades veladas.
Laerte Creder Lopes
Enviado por Laerte Creder Lopes em 06/11/2007
Reeditado em 25/11/2007
Código do texto: T726559
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Laerte Creder Lopes
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
162 textos (14445 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/17 01:30)
Laerte Creder Lopes