Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Epidemia da Inanidade

Nuvens apressadas pelas violências instigadas,
surtos de epidemia alertados pelos ventos,
mentes em alvoroço perante os chamamentos,
desertificação de raciocínios se imaginava,
vacuidade de inteligências se conjecturava.

As asas exponenciaram a desenvoltura,
os voos asseveravam-se em ligeirezas,
sirenes alarmistas incentivavam as destrezas,
a praga perseguia e consumia,
tão aniquilada se afigurava a utopia.

Os seres voadores foram apanhados pela tempestade,
De tudo o resto apenas sobrou a inanidade…

Também publicado em: www.liverdades.wordpress.com
Bruno Miguel Resende
Enviado por Bruno Miguel Resende em 10/11/2007
Código do texto: T731525
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Bruno Miguel Resende
Portugal, 36 anos
10 textos (1168 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/08/17 17:25)
Bruno Miguel Resende