Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Da Fisionomia das Coisas

Minha fisionomia é o deitar-me na cama branca,
É o levantar-me,
É o ir-me para outro lugar alheio à cama branca.
Não hei de precisar qualquer outra fisionomia,
Porque assim estou de acordo com as coisas,
E não me é possível o não estar de acordo com as coisas,
Já que compartilho da natureza de tudo.
Dizer que vejo uma tâmara com os olhos mais escuros que a tâmara,
E que a natureza da tâmara é ser lisa ou vincada,
E que minha natureza é diferente da natureza da tâmara
É subtrair-me, juntamente com a tâmara, à extensão e ao tempo do cosmo.

Furtar do cosmo minha forma e a forma de uma tâmara equivale
A ser eu deus eterno e deus passar, submerso no mundo e nas coisas,
Porque para o cosmo é tão impossível contestar uma mentira
Quanto sustentar uma verdade.
Corso
Enviado por Corso em 17/11/2007
Código do texto: T740423

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Corso
Balneário Camboriú - Santa Catarina - Brasil, 34 anos
19 textos (288 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/17 21:48)