Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O NOVO NAVIO NEGREIRO


                     "Auriverde pendão de minha terra,
                      Que a brisa do Brasil beija e balança,
                      Estandarte que a luz do sol encerra
                      E as promessas divinas da esperança...
                      Tu que, da liberdade, após a guerra,
                      Foste hasteado dos heróis na lança
                      Antes te houvessem roto na batalha,
                      Que servires a um povo de mortalha"
                      ______________________________
                      Se os heróis sucumbem na batalha fratricida
                      Nascerão novos, nos livrando do ódio genocida

                     ("NAVIO NEGREIRO" DE CASTRO ALVES E HUMILDE
                      PARTICIPAÇÃO DESSE POETA)
                     
Sempre Poeta
Enviado por Sempre Poeta em 18/11/2007
Código do texto: T741794
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Sempre Poeta
Londrina - Paraná - Brasil, 54 anos
24 textos (1374 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/10/17 07:04)
Sempre Poeta