Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Amor II

I

Pensava ser meu espírito dulcíssimo quando sozinho, ser puro,
Como o bosque tênue no interior das primaveras
E cria ver no mundo o tênue bosque, e o interior das primaveras.
Mas o amor mostra a verdade sobre as gentes,
E soube-me quando apareceste.

II

Quando vieste, irmã, a tocar minha espádua larga,
A beijar-me a boca melíflua que escorria como um caminho,
Tornou-se meu espírito selva dura e maliciosa e vi no mundo a selva maliciosa e dura,
E minha boca crispou-se e contorceu-se, como se fechasse o caminho.
A amizade do cordeiro me escapou ao espírito escuro e fechado,
Porque no cordeiro pressenti o sátiro que logra e engana e toma.
O cavalo, antes de ti gracioso,
Que jorrava as patas belas sobre a grama verde e nua,
Depois de ti pisou e despedaçou a grama verde e nua,
E nele vi um perigo.

III

Torno-me selva rude toda vez que te amo,
Porque meu orgulho é muito.
Se tivesse eu a natureza calma e dócil dos servos e planetas,
Pouco me importaria com o perder-te para as distâncias,
Porque compreenderia assim o ser das coisas, o perder-se nas distâncias,
E desse modo compreender é extinguir a perda.
Mas tenho a natureza dos reis e das esferas brilhantes,
Cujo destino são os venenos sombrios e as solidões monstruosas.
Tenho a natureza dos traídos,
Que é o sentir nada mais haver no cosmo além de reis e esferas brilhantes, que é o achar-se necessário e indispensável.
Torno-me selva escura cada vez que te amo,
Porque é muita minha empáfia, meu egoísmo, minha mesquinhez, meu orgulho.
Porque meu existir é um pecado seco e bruto, como um soco.


IV

E se assim é, meu existir um pecado seco e bruto,
É para que vivas do meu sangue e da minha carne,
E para que nisso haja justiça.

Corso
Enviado por Corso em 18/11/2007
Código do texto: T742614

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Corso
Balneário Camboriú - Santa Catarina - Brasil, 34 anos
19 textos (288 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/10/17 14:12)