Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ALUMBRAMENTO (6)

BOCA MARFIM

Calo a boca imunda
que transborda palavras fecundas.
Calo a boca fértil
do motivo fútil,
do beijo inútil.
Calo a boca
que cospe o mal.
A boca com sabor de sal,
a boca do meu caos.
Calo a boca que canta,
que canta a chegada do fim,
a boca marfim,
a boca que enfim
cala as outras bocas
em prol a mim;
a boca que chama a morte,
que reclama a sorte.
Calo a boca que mente,
a boca que sente,
a boca imunda
que afunda
na solidão permanente.



FLORES DO MAL

São muitos corações
para pouco amor.
São muitas gerações
para pouco tempo.
São muitos problemas
para poucas respostas.
São muitas tristezas
para pouca felicidade.
São muitas coisas
que fazemos debalde.
São muitas as flores do mal
para tão poucas do bem.
São muitas mortes
para poucas vidas.
São poucas as feridas
que cicatrizam.
São poucas as dores
que se amenizam.
São poucos os sonhos
que se concretizam.




HORIZONTAL

Pulsa em horizontal
meu coração brutal.
Sofre em horizontal
meu amor plural.
Caem em vertical
minhas lágrimas adjacentes.
Tolices de quem mente
e se sente triunfal.
Olhar horizontal,
pecado original,
deixo minha digital
em seu medo diagonal.
Corpo em horizontal,
palpitação letal,
leito conjugal,
morte fatal!



 ELAINE BORGHI
primavera de 2005
ELAINE BORGHI
Enviado por ELAINE BORGHI em 24/11/2005
Reeditado em 18/12/2005
Código do texto: T75589

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor (Elaine Borghi) e o link para o site www.recantodasletras.com.br/autores/elaineborghi). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
ELAINE BORGHI
Campinas - São Paulo - Brasil, 42 anos
56 textos (1486 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 04:08)