Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

QUIZOMBA DA VIDA

A insignificância do ser concebida
       Por medíocres insetos.
            Vaias e risos,
                Muitos.
              Aplausos,
             Discretos.

        Palmas sensatas.
           Risos e vaias.
         Insetos festejam.
         Triste afirmação.
  São todos seres humanos.

         O ser disse ser.
        Quiçá ser poeta.
 Zombar, gracejar, aplaudir.
       Infinitivos verbos.
     Uns dizem só verbos.
Outros os chamam de ironias.

     Infinita consternação.
             O poeta...
              Cala-se,
              Isola-se,
             Reflete...
Os olhos ao infinito horizonte.

     Discorre na alva folha
         A magia poética.
 Os insetos agora aplaudem.
         Abutres letrados.
        Humanos hipócritas
    De uma sociedade podre.

          Podre e zomba.
       Quizomba o poeta.
        Poesia presente.
  Na alma de quem a sente.
  Gente de coração ardente.

       O poeta é presente.
       O poema é presente.
           Todos recebem.
          Insetos e abutres,
             Agora louvam.

            O poeta grita.
 O PRESENTE É PRA TODOS!!!
         Alegria e tristeza.
          O poeta existe.
         Continua sereno.
        Discurso do mudo
      Para ouvidos surdos.

    Infinitos verbos sob a esfera.
             Poeta e caneta,
              Agora dançam.
É alimento e vida para o nascimento
           De infinitos poemas.

             Poema presente.
            Na poesia da vida.
             Poeta presente.
          No poema do mundo.
         O poeta existe e vive.
A vida poética do poema do mundo.

       O ser que diz ser poeta.
            Existe no mundo.
          E o mundo se curva
            À beleza poética
          Da quizomba da vida.
CARLOS PEREIRA
Enviado por CARLOS PEREIRA em 29/11/2007
Reeditado em 29/11/2007
Código do texto: T757270
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deverá citar a autoria de Carlos Alberto Pereira da Silva). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
CARLOS PEREIRA
São Félix do Araguaia - Mato Grosso - Brasil, 49 anos
20 textos (853 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/11/17 21:39)