Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NASCENTE

A POESIA BROTA NO CAMPO DAS IDÉIAS
COMO UMA MISTURA DO MEU EU
E DA MINHA RACIONALIDADE
ELA CHEGA DE MANSINHO
TÃO DEVAGAR...
QUE QUANDO PERCEBO JÁ FUI POSSUIDA PELA ESSÊNCIA
A POESIA VEM CHEGANDO COM UMA GINGA DE MALANDRO
QUE SÓ O BRASILEIRO TEM
CANTANDO SUAVE...
NUMA MISTURA DE SAMBA E
BOSSA DE TOM JOBIM
ELA REUNE VÁRIAS RAÇAS,
CRENÇAS,
UTOPIAS DO ARTISTA
ELA CHEGA ESPERTA E RISONHA
SE FAZ CIRCO E,
É O PALHAÇO DO ESPETÁCULO
É O BANDIDO DOS FILMES DE FAROESTE
É O REVÓLVER NA MÃO DO MARGINAL
A POESIA É ASSIM...
UM PASSAR DE DÉCADAS
UM CRONOMETRAR DE MOMENTOS
O SUSPIRAR DE ALGUÉM
POESIA É FOME
DE SACIAR A ALMA
QUE INQUIETA CLAMA ARTE

Juliana Pacheco
Enviado por Juliana Pacheco em 29/11/2007
Código do texto: T758444
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Juliana Pacheco
Araruama - Rio de Janeiro - Brasil, 33 anos
12 textos (164 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/17 17:19)
Juliana Pacheco