Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O desamar do amor

Enferrujada, defino-me.
A fuga é testemunha da fraqueza,
cúmplice do medo,
irmã do desamor.

Nem palavras podem brotar.
Folhas, antes íntimas, hoje assustam.
E enferrujo, definhando-me.

Cansei de rabiscar sentimentos
para mim tão importantes,
que, quando por outros ditos,
são antes gozados que ilariantes.

Não fala assim de amor!
Amor não pode ser assim!
Não me faz desacreditar na bela adormecida.
Não me deixa temer o fim de filmes.

Amor é verdade, não mentira;
cumplicidade não traição;
presença não incerteza;
paixão pura e não nojo.

Então já nem sei o que sinto,
porque meu amor nem é assim
como o amor tem que ser.
amadora
Enviado por amadora em 01/12/2005
Código do texto: T79743
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
amadora
Santa Maria - Rio Grande do Sul - Brasil, 32 anos
13 textos (229 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 16:53)