Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ETERNAMENTE ILUSÃO (1)

PRETENDER

Não encare,
finja que está vendo.

Não ame,
finja que está gostando.

Não ache estranho,
finja que é normal.

não explique,
finja que entendeu.




ILUSÃO

Doeu-me esse amor.
Ah, como doeu!
Este coração sofreu
pela dúvida do seu.
Foi ilusão, agora eu sei.
No braço do seu amor
me entreguei, me machuquei.
Sofri e chorei, mas, com as
boas recordações, me recuperei e, hoje,
só restaram as maravilhosas lembranças
de quem um dia amei, pois
de você esqueci,
as esperanças logo perdi.
Um outro amor nasceu,
de novo fiz confusão,
outra vez sofri por ilusão,
não, não é confusão,
não, não é raramente ilusão,
pois, desta vez, estou com os pés no chão,
estou mais consciente e
não deixarei que façam o meu
coração sofrer novamente.



FALSIDADE

Ah, seu eu antes soubesse!
nada teria falado sobre todos os
meus amantes.
Seu coração frio, no qual não mais confio,
soube destruir uma amizade
e mostrar somente falsidade.
Não teria sido sincera
e deixaria você na espera.
Mas você de tudo sabe...
Por que lhe contei?
Maldita hora, aquela hora que contei a você!
Agora, que você já sabe, quero que
esta amizade se acabe.
Você me traiu e com o meu amado saiu.
Aproveitou bastante, fingindo
que bebia refrigerante.
Agora percebeu a tolice
que cometeu, fingindo que nada aconteceu.
Olhar para o seu rosto me faz muito mal,
Deixa, então, de ser fingida, estúpida!
Não vê o sofrimento da que foi traída?
Pra mim, você acabou...
Olha, garota, não me procure mais, pois
não voltarei atrás.
Você não merece a minha felicidade,
pra eu ganhar a sua falsidade.
Desapareça da minha vida!
Não precisamos de despedidas,
você já está esquecida e, por gentileza,
deixa de ser fingida!
 

  ELAINE BORGHI
primavera de 2005
ELAINE BORGHI
Enviado por ELAINE BORGHI em 08/12/2005
Reeditado em 18/12/2005
Código do texto: T82337

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor (Elaine Borghi) e o link para o site www.recantodasletras.com.br/autores/elaineborghi). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
ELAINE BORGHI
Campinas - São Paulo - Brasil, 42 anos
56 textos (1486 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 16:34)