Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Fruto seco

        Só, numa multidão,
        Mas só.

       Num frio tris de madrugada te
       (cor de cinza),
        Adormece em mim a revelação...
(cor de prata)

Infeliz intento,
Havia de acontecer.
Porém, desconhecido repentino...

Continuo vivo por fora
Mas sei que estou morto, por dentro.
Calor do cão
Enviado por Calor do cão em 11/12/2005
Reeditado em 11/12/2005
Código do texto: T84534
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Calor do cão
Salvador - Bahia - Brasil, 28 anos
127 textos (9777 leituras)
1 e-livros (39 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 18:13)