Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DEZEMBRO

Caio embaixo da tarde e apinho-me ao movimento
não-cotejado pelas ruas na diversidades de palavras soltas
raiadas de  corpos rumo à festa pagã
dos milhares de deuses comerciais

que cumprem a tarefa de retalhar
a dicotomia ao lado do menino velho
que se esteira na manjedoura de gesso
e que transforma a parte do mundo

em que me encontro (todo ele)
em alucinantes luzes pequenas,
colmeias alastradas em galhos,
exibidas como o troféu que conceitua a todos

em existir qual igualdade de propósitos
na diferença apenas do que foi para cada um
o ano de que mais nada se espera
posto ser estertor  do aglomerado de fatos

já esquecidos, já bem guardados
nestas sacolas plásticas das conquistas
dos modernos navegadores da circunvolução
que buscam a amplidão da existência,

nem que sejam limites o guinar
até a costa do fim do ano
e que em apenas um dia se comemora
não sei se término, início ou recomeço.

Sei  tão somente que após isso,
a terra firme voltará a ser polvilho de areia.



2005
SÍTIO DE POESIA
alfredorossetti.com

 
ALFREDO ROSSETTI
Enviado por ALFREDO ROSSETTI em 15/12/2005
Reeditado em 19/10/2015
Código do texto: T86459
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
ALFREDO ROSSETTI
Ribeirão Preto - São Paulo - Brasil, 65 anos
143 textos (2367 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 04:14)
ALFREDO ROSSETTI