Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

VIAGEM

Eu não poderia guardar todos os tesouros
Eu não conseguiria afogar-me na superfície
Às vezes a multidão é meu exílio
E minha alegria é quase triste

As placas não dizem nada
Meu horizonte não é aqui
Por tempestades sem estiada
Por páginas que não chegam ao fim

Eu não sei mais o que sentir
Errante como sou, mareado como era
Calor, frio ou a frieza
Destinos rabiscados no pó ou na pedra

Eu não encontraria o fim procurando outra chance
Eu não deixaria a correnteza vir até mim
De repente somos nobres arruinados
Presos ao barco pronto para partir

Amanhã ou outro dia ,hoje lua -nova
Se a minha força me fez chorar agora
Saiba que a sua ausência ainda me falta
E que o amor habita onde o tempo não mora.
 
(A escuridão não me deixou dormir
E quando outra manhã de sol raiar
Eu não vou mais fugir de mim)
Franciane Cruz
Enviado por Franciane Cruz em 18/12/2005
Reeditado em 23/05/2009
Código do texto: T88009

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Franciane Cruz
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil, 36 anos
43 textos (2527 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 16:38)