Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poesia da Folha Seca

Os olhos eram os mesmos,
Mas não tinham o mesmo olhar
De fora para dentro
De dentro para fora
O mundo nunca parou de mudar, transformar, modificar...

A beleza que emoldurava os belos olhos
Agora está feia
Um eclipse é seu olhar

Tudo em sua vida passou,
Mas algo parece tê-la esquecido
Em sua cadeira de balanço
Desejava algo antes temido
Não havia mais motivo para amanhã acordar

Senhora de curtos e mal cortados cabelos brancos
Pensamento parado pensando em parar
Tua vontade seja feita
Sofrer não é motivo para viver

Traída pelo seu corpo
Nem o mundo pode bem sentir
Sua única espera é porém
Sua única esperança é por ir
Vermelho
Enviado por Vermelho em 31/03/2005
Código do texto: T8832
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Vermelho
Salvador - Bahia - Brasil, 29 anos
22 textos (1334 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 12:52)
Vermelho