Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

No arvoredo da João Telles

No arvoredo da João Telles,
Eu te esperei uma vida inteira.
E nunca viestes ao meu encontro,
Como eu gostaria que viesses.
As pessoas que passavam, sorridentes,
Rumo ao Parque Farroupilha,
Por um instante punham os olhos em mim
E viam a minha inquietude.
E viam estampada em mim,
Toda a angústia, toda a ansiedade
Pela espera daquela que nunca vinha.
Por um instante, a alegria fugia
Dos rostos felizes daquelas pessoas.
Alguma coisa de muito triste
Percorria o corpo daqueles transeuntes
Ao me verem ali, parado, à espera.
Talvez, imaginassem, rapidamente.
O porquê da minha presença ali.
Por quem esperava eu, todos os dias,
Vestido com minhas melhores roupas,
Com um buquê de flores na mão esquerda.
Por um momento, sim, por um instante,
Aquelas pessoas estremeciam e admiravam-se.
Mas seus passos retomavam seus caminhos
E lá iam elas, felizes, rumo ao Parque,
Enquanto eu, infeliz, aguardava,
Metido em minhas melhores roupas,
Aquela que nunca veio.
paulo costa
Enviado por paulo costa em 02/01/2006
Reeditado em 29/03/2006
Código do texto: T93554
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
paulo costa
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 60 anos
1 textos (51 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 15:51)