Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ao compositor

Ao compositor
maria da graça almeida

O sonho definha-se na secura do vazio, na frieza da distância. A alvura da tela perdura. A mudez da corda fere, fura.A tecla queda-se morta. O espectro da sua voz me tortura.

Poucas notas, dois acordes e a harmonia -mesmo se nem harmônica fosse- já me bastariam, mas nem isso... e nem nada, apenas as claves da melancolia e o choro de uma sinfonia, à mercê de uma ansiedade que me compromete; reféns do descaso a que se submetem.

E minha interna sinfonia, não desiste, persiste, insiste e pede, não dá paz à criatura, pois que perdida já está minha antiga compostura.
maria da graça almeida
Enviado por maria da graça almeida em 11/01/2006
Código do texto: T97420
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
maria da graça almeida
São Paulo - São Paulo - Brasil
248 textos (14807 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 20:19)
maria da graça almeida