Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

I Concurso de Poesias sobre a Consciência Negra

Colégio Municipal Elza Maria Bernardo

Av. Ézio Cardoso Fonseca, s/nº - Jardim Esperança
Cabo Frio – Rio de Janeiro – Brasil
Tel. 2629-7087


Diretora: Professora Cláudia Simone _________________________
Vice-Diretor: Prof. Alexander __________________________
Supervisoras: Professoras Marta______________________________,
_______________________________,_________________________e _____________________________

Coordenadora de Área de Língua Portuguesa (que promoveu o Concurso): Professora Helaine Mara de Oliveira

Dirigentes de Turno: Professoras Malena ________________
e Marta Spanish


Palestrante: Doutora





###########################################################

I Concurso Consciência Negra - Ano: 2006
Edital

Disposições gerais:
1 – Tema: “Política Educacional de identidade e multiculturalismo: Combate à desigualdade.”

2 – Temas secundários:
      “Preconceito racial e social”, “Desigualdade racial e social”, “Os quilombolas hoje no Brasil” e “Diversidade Cultural”

3 – Cada participante poderá concorrer com duas poesias.

4 – Prazo de entrega: 10/11/2006

5 – O Concurso vale para os três turnos.

6 – Da premiação: Serão premiados os três primeiros colocados.

7 – As três melhores poesias serão publicadas no blog:
      www.poesiarte.blogspot.com.
_________________________________________________________
Informações com os professores Rodrigo, Helaine, Liziane e o inspetor de alunos Fábio.

       Nota: Os alunos dos três turnos participaram maciçamente, só que me chegaram às mãos apenas os poemas das turmas 2002, 2003 e 3002 (EJA). Então, faltaram (ainda do EJA) as turmas 1001, 1002, 2004 e 3003, que provavelmente jamais publicarei.
Reparem que não conto com o turno da manhã (Fundamental e Médio) e da tarde (idem).  Logo, aqui se acham, no máximo, 20% de todos os poemas escritos.
Se acaso algum participante desta antologia nela não quiser permanecer, basta manifestar sua vontade através do ‘link’ ‘Contato’, que o deletaremos incontinenti.
Vamos aos escritores:

Turma 2002

1 - Angélica Viana – ‘O negro’
Tanta discriminação, muita falta
De amor, de compaixão, porque?
Somente pela cor da pele.
É que na verdade somos
Todos iguais; não é só
A cor da pele que pode mudar
O caráter de uma pessoa.

Hoje ainda existe muito preconceito
Não deveria acontecer essa desigualdade.
Porque somos sim todos iguais:
Negros, brancos, mestiços...
Cor da pele diferente, mas a alma,
O sangue que corre nas veias
É todo igual.


2 - Carlos Verdan Oliveira de Souza - (sem título)
Bola na trave não altera o placar
Bola na área sem ninguém para cabecear
A bola na rede para fazer o gol!

Quem não sonhou ser um jogador de futebol?
O meio-campo é o lugar do craque
Que vai levando o time para o ataque.
Que emocionante é uma partida de fotebol!
Posso torcer pelo meu time;
Se ele não ganhar posso até parar
Mas não adianta que eu não vou parar de gritar!


3 - Cliseide Esteves Souza – ‘Consciência Negra’
Nessa pele escura queimada por natureza
Olhamos a história e temos certeza
Que não desiste antes de lutar.
Eles são um exemplo que devemos preservar.

Onde houver um espaço a se ocupar
Lá estão eles lutando para conquistar.
Pensando bem e sendo franco
O sangue do negro não é igual ao do branco?!
Vermelho vivo é a cor.

Devemos deixar de tanto preconceito,
Ódio e rancor.
Devemos viver mais pelo amor.
Esse é o desejo de uma consciência
Que viveu uma história
Com trabalho e decência!


4 - Cristiano Henrique Duarte - ‘Sempre iguais’
Por que o racismo se a cor
 é a beleza?
Por que o maltrato
Se o bom da vida
Está no amor?

Quando vou para qualquer lugar
A toda hora eu vejo racismo;
Quando tudo parece estar perfeito
Alguém lá atrás arruma
Um jeito de exercer
O preconceito.

Posso até me enganar
Mas para termos paz
Não podemos discriminar.

Pois todos somos iguais
Não podemos mais esperar;
Então se junte comigo
E vamos todos nos abraçar!


5 - Edson Rocha Belo – (sem título)
Ando à procura de espaço
Para o desenho da Vida.

Esse número me embaraça
E perco sempre a medida
Se penso encontrar saída,
Em vez de abrir um um compasso
Projetar-me num abraço
E gero uma despedida.

Se volto sobre meu passo,
É já distância perdida.

Meu coração, coisa de aço,
Começa a achar um cansaço,
Está à procura de estaco
Para o desenho da vida.

Mas por exausta e descrida,
Não me arrisco a um inerte traço:
--- Saudosa do que não faço,
Do que faço arrependida.


6 - Elizabeth de Souza Lopes -  ‘Consciência Negra’
A consciência negra devemos respeitar
Pois são pessoas fortes que gostam de trabalhar.
Os negros temos que admirar
Porque são gente boa
Que a todos tentam ajudar.

Nós não podemos ter preconceito
Porque a vida não é desse jeito.
O negro hoje há de conquistar
O seu merecido lugar para trabalhar.

Todos nós temos direitos iguais
Não podemos tratar os negros mal
A gente tem que determinar
Que o preconceito tem que acabar!

O preconceito ainda há em algum lugar
Mas isso tem que acabar;
Nós temos que lutar
E a todos respeitar..

Assim o mundo vai mudar,
Todos nós vamos poder sonhar
Com um mundo melhor para estudar,
Trabalhar e amar!

O negro já conquistou seu devido lugar
Para trabalhar, estudar, e morar.

Todos nós temos que lutar
Para o preconceito acabar,
E os negros não precisarem mais ser excluídos,
Pois eles são dignos de admiração,
Porque amam com emoção.

O negro é povo de bem,
Queira respeitar você também!

O branco deveria ter consciência
Que a única diferença que existe no negro
É a cor da pele.
Sendo assim, o preto leva vantagem:
São mais fortes e resistentes perante o branco.
Temos que nos orgulhar
Da raça negra.


7 – Fabiana Barbosa – ‘Ser negro...’
Ser negro não é vergonha
É uma honra,
Pois a raça negra
Mostra uma grande beleza.

Negro que é negro
Não tem que se envergonhar
Da sua cor, pois ser negro
Tem a mesma beleza de uma flor.

A raça negra é batalhadora,
Trabalhadora, guerreira,
Alegre, luta pelos seus objetivos.
A raça negra é um povo muito produtivo.

Negro que é negro
Não liga para os preconceitos,
Só luta pelos os seus direitos
Pois não deixa de ser cidadão!


8 - Fátima Gabi – ‘Conscientização’
Sabemos que o preconceito
Tem atrapalhado muita gente
Olhar primeiro para a cor
O preconceito está presente.

No ano da consciência negra
Precisamos mudar nossos conceitos
E ver que o ser humano
É a imagem de um Deus perfeito.

Não importa a cor da pele
Nem a posição social
O importante é que todos somos
Irmãos em potencial.

Cabeça, tronco e membros
Todo ser humano tem;
Então vamos ser felizes
Cada um como lhe convém!


9 - Gláucia Maura da Silva – ‘Negros’
Os  negros são resistentes
E muito inteligentes
Eles são pessoas de bem.
Queiram respeitá-los também!

Nós não podemos deixar
O preconceito rolar.
Isso tem que acabar
Para todos poderem se amar.

Aos negros temos que admirar;
São pessoas competentes
Que gostam de trabalhar...
Por isso é que temos de ajudar
Para o preconceito acabar.

Assim todos ficarão contentes
Isso é bom para toda a gente.


10 - Helton Ernesto (sem título)
Vim pedir respeito;
Temos que olhar de outro jeito
Quem nasceu diferente
E venceu o preconceito.

A gente tem que admirar;
Harmonizar para ser feliz;
Diferença racial para quê?
Está na cara que a beleza
Está nos olhos de quem vê;
Romantismo irradia;
Energia para viver.

Nesse mundo onde tudo é relativo,
A vida é meu motivo,
Meu maior prazer.

“Porém perante a lei de Deus
Todos  nós somos iguais.”


11 - Iolene Arruda – ‘Racismo e Socialismo’
Nós somos seres humanos
Todos filhos de “Deus”
Devemos nos orgulhar
Da cor que o Pai nos deu.

Deficiência é um defeito
Religião e Socialismo não convêm
Homossexuais não têm direitos
Nem a cor de pele também.

Isso tudo incomoda
A todos que não têm amor.
Pois quem ama não se importa
Qual seu defeito, ou sua cor.

O Socialismo é algo que veio
Para oprimir...
Somos a Humanidade, iguais ou diferentes,
Todos temos liberdade de cor ou sexualidade.

O que devemos distinguir...
O preconceito na Sociedade
Socialismo e Racismo
São iguais, mas o preconceito de cor
Não muda jamais...


12 - Jacira S. Vieira – ‘Somos todos iguais’
Brancos, negros ou mestiços
Lutando por uma vida melhor;
Morando numa metrópole, interior ou cortiços,
Somos todos iguais, nem maiores nem menores.

Pobre, rico, doutor ou gari
Todos com os mesmos ideais
Ter uma vida melhor...
Se acaso vier a frustração, todos vão se lamentar...
Somos todos iguais.

Sabemos que os preconceitos
Estão em toda parte;
Brancos, negros e diferentes...
Vamos amar a todos
Pois todos somos iguais.

Não vamos olhar para os lados
Vendo a cor ou o “status” social,
Mas vamos nos olhar com carinho
Sabendo que somos todos iguais.


13 - Lúcia Helena Cordeiro Ritt – ‘O Povo Negro’
A paz é branca e negra.
A sociedade é negra
O preconceito é branco
As pessoas são brancas e negras.

Queremos viver livres.
Há espaços brancos e negros.
Há culturas negras.
Há culturas brancas.

Há um grito preso
Na garganta da sociedade.
Chegou a hora da verdade.
Sem preconceito,
Vamos viver livres na sociedade.


14 - Lucinéa da Câmara A. Pires – ‘Consciência Negra’
O negro com sua raça
Deu seu suor, seu furor
Para o desenvolvimento do seu país,
Grande feito com amor.

Sua cor, negro forte,
Raça eleita, raça feita.
Os brancos que por aqui passaram
Com seus carros, suas terras, seus cafezais
Se esqueceram que suas riquezas
Vieram através de muita proeza.

Não podemos continuar omissos
A tanto descaso, tanto preconceito
Tanta falta de amor.
Vamos viver uma vida feliz
E lutar em prol do fim do preconceito com ardor.


15 - Maria das Neves Magalhães – ‘A Consciência Negra’
Os negros devemos admirar
São pessoas inteligentes que gostam de ajudar.
Os negros temos que respeitar.
Eles são esforçados e gostam de trabalhar.
Nós não devemos ter preconceitos
Porque isso não é direito.
O negro já conquistou seu devido lugar
Para trabalhar, estudar e morar.

Todos nós temos que lutar
Para o preconceito acabar
E os negros não precisarem mais ser excluídos
Pois eles são dignos de admiração
Porque amam com emoção.

O preconceito ainda existe
Em algumas pessoas pobres de espírito.
O negro é povo de bem
Queira reseitar você também!

O branco deveria ter consciência
Que a única diferença que existe do negro
É a cor da pele.

Sendo assim o preto leva vantagem:
São mais fortes e resistentes perante o branco.
Temos que nos orgulhar
Da raça negra.

(Nota do digitador: quase idêntico ao poema nº 5 da Turma 2002.)


16 - Marizete Gomes – ‘A beleza negra’
Pensem na beleza negra
Pensem na mulher negra
Bonita que existe.
O sorriso negro é a coisa mais linda,
A cor negra está na alma,
A cor negra, a beleza negra
É tão bonita que no verão
Todo mundo vai à praia
Para pegar uma cor.

A beleza negra foi a coisa mais bela que Deus fez.
E ser negro não é vergonha mas sim uma honra.


17 - Penha Auxiliadora – ‘Consciência Negra’
Sou de uma raça pura
Pura de orgulho consciente
De que ainda somos discriminados
Por toda essa gente.

Sou dessa raça
Pura de mente e de beleza
Sem essa de preconceitos
Contra qualquer cor e natureza.

Sou e serei sempre essa raça
Que batalha pelos seus direitos,
E que a cada dia vem conseguindo
Vencer esse mundo de preconceitos.


18 - Raquel Silva – ‘Brasil sem preconceito’
Para viver numa sociedade
Com amor e paixão,
Devemos então respeitar nosso irmão
Para amar e sem preconceito
Devemos viver direito.

O preconceito é horrível
O negro também é gente
Nesse país verde-amarelo
Não devemos ser delinqüentes.

Somos todos iguais
Uma sociedade unida
Sem preconceito viveremos
Melhor ainda.


19 - Robson Alves Coelho – ‘O nosso valor’
Com o suor do seu corpo
O negro teve que brigar
Para não passar pelo horror.
Com o suor do seu seu corpo
O negro mostrou seu valor.

Precisamos nos conscientizar
Que o negro já é reconhecido
Muito amado e também querido.
Mas tudo o que o negro sofreu
Não pode ser esquecido!


20 - Sabrina Mota – ‘Racismo’
Nunca nessa sociedade racista
Se viu tanta consciência
Sobre a raça negra.

Todos nós temos o direito de viver em paz,
Ter oportunidades, ter direitos iguais,
Pois somos seres humanos como qualquer um.

Hoje o negro é amado
E reconhecido e até famoso:
Cantor, compositor, jogador de futebol...

Hoje o negro tem seu lugar
Junto ao sol.


21 - Silvana Gomes Gino - ‘Racismo e preconceito’
Infelizmente, nesse mundo em que vivemos,
Temos racismo e preconceito.
Mas estamos lutando contra,
Apesar de que nada é perfeito.
Vivemos em um mundo de racismo e preconceito
Contra tudo e contra todos
Felizes ou infelizes, alegres ou tristes.

Infelizmente o racismo existe,
Ele é como uma praga
Que chega de mansinho
E toma conta de todos
Que estão à sua volta.

Lamentavelmente,
Não é como uma praga que é combatida
E destruída com remédio.
Ele até pode ser combatido,
Mas para isso acontecer,
É preciso que os preconceituosos
Tenham consciência e vontade de parar.

Pois como se fosse um vício,  faz mal,
E acaba com a vida da pessoa
Que está sofrendo essa discriminação.

Por isso temos que nos unir e dizer:
“Não ao racismo e ao preconceito!”


22 - Tarcísio Corrêa – ‘A Minha Vida’
A minha vida é mais
Ou menos livre, às vezes
Aprontando e às vezes até trabalhando
Nos dias de semana
E aprontando nos finais-de-semana.
Estudando à noite e trabalhando de dia
Procurando sempre fazer minhas amizades
E pessoas que posso considerar de verdade.
Procurando pessoas que possam
me ajudar nas horas mais difíceis
e não só na hora da diversão.
Isso é o mesmo que viver em vão.
Pessoas em que eu possa acreditar e desabafar,
Não pessoas para me criticar.


23 - Wellington Luiz – (sem título)
Todos nós temos o direito de viver em paz.
Ter oportunidades, ter direitos iguais.
Pois somos seres humanos,
Independente de ser negro ou de qualquer raça,
Religião ou classe.  Enfim, pobre, rico etc...

Há muito tempo os negros vêm sofrendo
Esse tipo de agressões, de preconceito;
É preciso que todos se conscientizem
Que os negros têm direitos
como qualquer um ser humano.

Hoje os negros estão tendo um espaço melhor
Na Sociedade, nas indústrias, nos bancos,
nas faculdades, nos cinemas.
Está melhorando a qualidade de vida,
Mas ainda têm muitas pessoas que discriminam
Essa raça, e isso tem que mudar;
Talvez possamos criar até mesmo recursos educativos
Para mudarmos essas pessoas
Que consideram isso caso normal na sociedade;
Isso é errado, e temos que mudar.

#########################################################

Turma 2003

01 - Alberto Carlos dos Santos – ‘O Racismo’
Hoje em dia o racismo no Brasil cresceu muito; encontramos o ra-cismo por toda parte, com negros, com brancos, com pobres, com ricos e até mesmo com as pessoas que trabalham com o lixo.
Porém o mais incrível é o racismo que o brasileiro tem com o ne-gro, como se ele fosse sujo, o porco, o burro, enfim a única pessoa que não tem direito a nada, como: o mercado de trabalho, a andar na rua de cabeça erguida, como qualquer ser humano...
Isso tem que mudar, ou do contrário o Brasil não vai evoluir.  Não  só o Brasil mas o Mundo tem que evoluir.
Vamos ter que fazer algo, pois esse preconceito tem que acabar!


02 - Ângela Floripes Martins Campos – ‘Dia da Consciência Negra’
“Você lutou para conquistar sua liberdade mas valeu.  Muitos de seus antepassados viraram mártires não por vaidade, e sim porque era uma causa nobre.
Quanto tempo você esperou até dar o grito  “Estou livre!”  É certo dizer que foi uma busca de anos, você até agora carrega as marcas da prisão e do cativeiro.
Mas sua faculdade intelectual e sua cultura mesmo em cativeiro você preservou.  Hoje sua cultura se mistura a outras culturas, inovando e acrescentando arte e beleza.
Você é admirado por todo o mundo, o seu valor até reis e rainhas se curvam diante de si.  Porque sua ginga e habilidade é um dom que vai além das fronteiras geográficas.  Você é destaque na prática de ati-vidades que requerem destreza e vigor, sua energia vital em esplendor.
Seu sorriso reflete a simplicidade e felicidade, o seu olhar reflete a esperança e o sonho daqueles que um dia sonharam, porém não pude-ram usufruir de tais alegrias.”
Obs.da aluna: este texto pertence ao acadêmico Sr. Salvador Perei-ra (Comunicação Social – Publicidade e Propaganda)


03 - Ana Cláudia de Souza Sena – ‘A liberdade’
De um país muito distante veio esse menino, sem saber para onde iria.  Veio parar em um país distante que tirou tudo o que ele tinha.
Perdeu sua liberdade e também suas crenças.  Cresceu e se tornou homem, com coragem conquistou sua liberdade.
Mas hoje vive lutando por um mundo de verdade, sem racismo, sem maldade; um mundo que venha a ter menos crueldade.


04 - Ana Paula Leal – ‘O reconhecimento racial’
Nunca nessa sociedade racista
Se viu tanta consciência
Sobre a raça negra.
O negro era tão discriminado
Era tão mal visado e até maltratado.

Hoje o negro é amado
É reconhecido e até famoso:
Cantor, compositor, jogador de futebol...

Hoje o negro tem o seu lugar
Junto ao sol.
(Nota do digitador: quase idêntico ao poema nº 18 da Turma 2002.)


05 - Clarinda Pereira – ‘O negro’
Sua alma reprimida
Vai lutar pela liberdade
Vem vencendo o cativeiro
Não se entrega à maldade.

Não se deixa escravizar
Vai lutar para ser livre
A sua liberdade sempre conquistar
O cativeiro não é o seu lugar.

A dor vai passar
A liberdade vais alcançar
Pela cor da tua pele
Não vão mais te humilhar.


06 - Daiana Santos Garcia Leal – ‘Consciência Negra’
Hoje em dia o negro pode se considerar um pouco vitorioso: obti-veram o poder de serem livres, de deixarem de ser escravos, obtiveram o poder de serem aceitos por Faculdades, pela Sociedade... Mas mesmo assim o pior de tudo é o racismo, que ainda continua, pois os negros até hoje sofrem por racismo e pela própria sociedade e isso é muito ruim.
Os negros, apesar de terem conquistado não só essas vitórias como outras também, sofrem pois o preconceito é intenso; por onde passam, as pessoas olham atravessado, discriminam, ao atender em lojas; por exemplo tem vendedores que se recusam até mesmo a atendê-los.  Isso é inaceitável, não podemos aceitar!
Mas isso são fatos e temos que mudar, reivindicar e protestar, pois isso é um crime.  Creio que um dia isso irá mudar.  Os negros também são gente e devem ser tratados todos iguais.


07 - Edivaldo Souza – ‘O racismo’
O racismo por sua vez é estimulado pela situação de desemprego existente em todo o mundo.
Por falta de capacitação, ou oportunidades, não temos os mesmos direitos; porque quem tem dinheiro sempre está por cima.
São características da população rica: urbanização, alta qualidade de vida e alta natalidade.
São características da população pobre: baixa qualidade de vida e alta natalidade.
A grande desigualdade social é a mãe das mazelas sociais do mundo.  Essa desigualdade é resultado da fragilidade econômica dos países.
O homem está se esquecendo da sua imagem, do amor ao próxi-mo: Não vamos deixar a desigualdade destruir o homem!


08 - Elaine M. Floriano – ‘Desigualdade social’
A desigualdade social vem desde a colonização do Brasil, e hoje está perdendo a força com algumas conquistas.
Os negros já conseguiram o direito judicial de que preconceito é crime e dá cadeia; conseguiram também que o Governo colocasse uma cota nas Faculdades Públicas e estão se esforçando cada vez mais para conquistar novos ideais.
Há muitas pessoas no mundo inteiro neste momento sofrendo al-guns tipos de preconceito, tanto no trabalho como nas ruas, em reparti-ções públicas etc.
Isto tem que acabar, somos todos iguais, independente de cor, raça ou religião.  Devemos nós seres humanos nos respeitar, pois se isso a-contecer o mundo vai ser um pouco melhor.


09 - Flávia do Nascimento Moura – ‘O Negro’
Sua força, sua glória
Não se submeteu ao castigo.
Lutou para ganhar a vitória.
Sua história mudaria.

Foi com grande sofrimento
Que passou a sua vida.
Não tinha lamento
Mas fracassar não daria.

Tinha fome de liberdade,
Fugir conseguiria.  Pensar na alforria
Para quê, se livre nasceria?
Deixar-se escravizar jamais permitiria.

Trabalhou forçado.
Teve fome, teve morte,
Não ganhava nem trocado.
Mas fracassar não daria.

Sua história mudaria
Mudaria para ser livre.
Para ser livre, mudaria.
Como assim nasceu um dia.


10 - Isac Alexandre Ferreira – (Sem título)
Ò liberdade liberta!
Há tanto que luto por ti!
Nem mais sonhava;
Mas lutava mesmo assim,

Ò negro lutador!
Muita dor de lutar
Muita luta sem parar
Para conquistar teu lugar.

Conquistei!  Porém ainda luto.
Luto, pelo luto dos vultos
Que meu povo deixou.


11 - Jomara Ramos – ‘Como vive o negro no Brasil’
Dizem que o preconceito acabou
Mas não é isso que podemos ver;
O negro tem lutado para conquistar
Sua dignidade, seu direito
Mas na verdade o seu sonho se evaporou.

O negro vive hoje no Brasil triste e acabado
Lutando por um país melhor com dignidade.
Ele é humano como a gente, tem desejos e sentimentos;
Cuidando de todos, não seremos derrotados.

Alguns negros têm conseguido seu espaço
Mas poucos são valorizados, pois negros;
Ele é fundamental, pois exerce
O mesmo direito de um branco.
Mas o que o negro deseja é carinho e abraço.

O negro tem vivido à margem da Sociedade
Sem vida boa, sem carinho e sem dignidade;
Pedimos que o mais rápido possível
Deixe o preconceito, venha conosco
Vencer e ser feliz de verdade!


12 - Johnny Nunes Silveira – ‘O Negro no Brasil’
O Brasil é um país de raças misturadas, onde o predominante natu-ral é o índio, mas com as misturas de índios, brancos e negros, a cor predominante é o mestiço.
No nosso país a raça negra é muito encontrada por aí afora.  É também muito discriminada.  Só não dá para entender essa deprimente deturpação mental do povo que olha com discriminação para a raça ne-gra.
Mas hoje o mundo está mais sensibilizado com essa situação, pois o ato racista nós punimos; aos olhos da Lei, com penalidade sem fiança, o que causa mais cautela nos atos racistas.
Por isso devemos nos educar para acabar com essa falta de huma-nidade no nosso país.


13 - Kellen de Sá Pereira – ‘O racismo’
O racismo está invadindo todo o território nacional, os negros não têm o direito nem de pular o carnaval.  Não têm direito nem à faculda-de, pois no Brasil o índice de racismo continua muito alto.  Que pena, pois o negro tem um brilho lindo, diferente, já reparou os seus dentes, que beleza?
O Brasil tinha que reconhecer a importância dos negros, pois são humanos como nós.
Temos que acreditar que isso vai mudar e tem que começar de nós mesmos.


14 - Lúcia Helena Vieira Moura – ‘O mundo dos negros’
O negro no mundo de hoje é como um rei, ninguém mexe, ninguém fala, só elogia e aplaude.
O negro antigamente sofria muito, eram mesmo uns escravos; hoje são até mesmo empresários!
O racismo hoje nos mostra o quanto a discriminação é o tema de quem muito fala, mas que na verdade é notícia para muitos.
Negro e branco não têm diferença, é a mesma merda, tem sangue do mesmo jeito, é tudo uma boa porcaria.
(Desculpa da expressão, não estou muito boa neste momento, me perdoa!!!)


15 - Maria das Neves Barbosa – ‘Sem título
Os negros de hoje lutam mais, lutam com dignidade, trabalho, como bons cidadãos brasileiros, sendo  sua luta  contínua, para ter uma vida decente.
A liberdade dos negros está em primeiro lugar; hoje eles gritam ‘Viva a minha liberdade!’
Hoje eles andam em todo lugar, trabalham honestamente, sem medo de luta.  Tudo se torna mais fácil na vida daquele que quer mudar.


16 - Mônica Gomes – ‘O negro no brasil atual’
Já lutava para ser livre
E agora já a tenho:
Conquistei há pouco tempo
Um direito que eu não deixei.

O trabalho que hoje tenho
É para me sustentar.
Pouco ganho para viver,
Mas continuo a lutar.

Luto por educação,
Para a saúde melhorar.
Não deixo meu direito
O preconceito dominar.


17 - Paulo César Santos – ‘A Consciência Negra’
Hoje em dia no Brasil não podemos afirmar que há consciência negra, pois há muita discriminação em toda parte do Brasil e de outros países.
O negro não pode isso, o negro não pode aquilo...  Na verdade mal sabemos a nossa própria cor!
É difícil por causa dessa discriminação o negro conseguir alguma coisa, como emprego, estudo, curso e outras colocações.
Por isso precisamos, mais do que nunca, ter realmente consciência de verdade, e reconhecer que o negro é nosso irmão e que o sangue que corre nas veias do negro é o mesmo que corre nas nossas também.


18 - Priscila França de Souza Lessa – ‘O negro na Atualidade’
Antigamente o negro tinha muito preconceito, e hoje em dia não  muda muito o quadro da história de vida do negro.
Só que hoje em dia o negro não é mais escravo, igual a antigamen-te, quando vivia nas senzalas e eram vendidos como um produto qual-quer.
Hoje a história mudou um pouquinho, ele não é mais escravo, tem direito, tem o direito de escolher o seu próprio emprego e estudar para ter uma vida melhor.
É difícil ter um negro advogado, médico ou dono de uma empresa famosa.  Tem muito que melhorar na vida atual do negro, tem que ter menos preconceito, ter mais oportunidade de conseguir uma vaga em uma Faculdade.
Tem que ter igualdade para todos, como para as pessoas negras e tanto para as pessoas brancas.
Porque Deus nos fez para viver bem, em amor e sem preconceitos.  Amar uns aos outros.


19 - Priscila Silva – ‘Sociedade e Racismo’
Quero nestes versos falar
De algo que não queremos comentar,
Que vivemos, lutamos e sofremos
Com todos os preconceitos escondidos.

Quando vemos algo diferente
Tendemos a olhar atravessado.
Esquecendo-nos que temos defeitos.
Quem vê, é quem está ao nosso lado.

Vamos amar ao próximo
Sem olhar sua cor ou dinheiro
Porque precisamos ser bem verdadeiros.


20 - Rose Moreira – ‘O negro no Brasil atual’
Olhando o negro parei a pensar: tão sofrido com o seu brilhar, so-frendo o grande preconceito, olhando o azul do mar.
No coração, angustiado com tanto a dar, com a chama ardente do amor que tanto tem para dar; não importa a cor da sua pele, o que im-porta é o seu grande coração que dentro de sua alma há.
Grande alma vivente, o negro e o branco expressando um único sentimento: seu infinito amor ardente com um só objetivo: amar como gente.


21 - Vera Lúcia Vieira – ‘Os Negros atualmente’
Divulga hoje:
A liberdade dos negros e mestiços
Preto por fora e branco por dentro
São todos uma só alma
Preta negra mas de muito valor.

Os negros hoje sentem muita dor porque?
Porque eles são humilhados e discriminados
Em todo lugar pela cor.

Porque choram os negros por falta de emprego,
Por falta de não ter uma casa para morar.
Nessa sociedade todos discriminam
A cor negra.

Eles amam como um branco
Eles sentem dor como a brisa
Do mar.
Nesse mundo somos todos iguais.

#########################################################

Turma 3002

1 - Adriele Almeida – ‘Consciência Negra’
Ser negro não é uma coisa fácil: para começar, na infância, a discriminação dos colegas de escola.  No mercado de trabalho raramente se vê um negro em um cargo superior, mas sim em trabalhos pesados e braçais; e nas Universidades nem 30% são negros.
Esse preconceito na maioria das vezes está nos próprios negros, que não se sentem capazes.  Mas essa intimidação quem faz é a socie-dade, que com sua mente pequena dizem que que preto é burro, ladrão...
Isso mostra que quem tem esse preconceito não passa de um ignorante que acha que a superioridade está na cor.


2 - Alan Gualter M. Gomes – ‘Preconceito Racial’
Aqui no Brasil todos nós incorremos em um problema da socieda-de humana chamado “racismo”: algumas pessoas têm preconceitos sobre a população negra no Brasil.
As pessoas não sabem que preconceito não é coisa de gente humana, mas de animais ignorantes, desqualificados diante da sociedade brasileira, que gera discursos, iras e revolta diante daquelas pessoas que não aceitam o preconceito.
O preconceito aqui é uma coisa que a lei brasileira ainda não acordou para punir severamente essas pessoas preconceituosas.  Elas tinham que ser punidas rigorosamente, com penas de cadeia; elas tinham que ser presas, porque nem na cadeia tem preconceituosos e com isso a po-pulação negra é que paga, porque para isso ainda não deram jeito.
Temos que mudar o Brasil, punir esses desumanos!


3 - Angélica Cristina dos Santos – ‘Preconceito racial e social’
Preconceito no Brasil
Tem que esconder em um barril
Ser de cor na pele e no coração
Tem que ser para a união.

Tenho respeito pela cor,
E não tenho pelo horror!!!
Sou da cor, e não abro mão.
Sou feliz com essa realidade
Mas tem gente que vive com imoralidade.

Preto pobre não tem vez.
E o branco e rico que vira freguês
O rico é sem coração
E o pobre sempre atrás da razão.

O rico tem medo de tudo
O pobre sempre vale “tudo”
O pobre pelo amor e a sinceridade
E o rico sempre pensa em maldade.

O pobre tenta ser honesto
E o rico paga para ser desonesto.
Preconceito em nosso Brasil
Eu quero que vá pra ponte que caiu.


4 - Berenice Coelho da Silva – ‘Preconceito racial e social’
Pessoas preconceituosas, parece inacreditável
Fingimos não perceber, e ver, e ver o quê?
O preconceito que há em você
Não tem para onde fugir.

Existe um preconceito enorme em nosso país
Na educação, na saúde e principalmente
Quando saímos para arrumar trabalho.
Não temos muitas oportunidades.

A sociedade só vive se perguntando
Até quando isso vai continuar
Todos merecem ter uma vida feliz
Independente de cor ou raça.


5 - Bianca Meira da Silva – ‘Preconceito racial’
O racismo no Brasil é um problema inadiável.
Com tantas pessoas preconceituosas
Que parece inacreditável.

Muitas vezes só olhamos para nós mesmos
E fingimos não perceber
O preconceito que há em você.

A sociedade só vive se perguntando:
Aonde nós vamos parar?
Sem educação e saúde,
E o preconceito onde está?
Todos nós nascemos e convivemos
Com gente de várias cores;
Em vez de críticas por que não darmos o amor?

Quando pensamos num país melhor,
Queremos um país mais justo e sem violência;
Mas quando pensamos no racismo
É um pouco complicado,
Porque existe um preconceito enorme,
Mas ninguém tem a dignidade de assumir!


6 - Fábio G. Barros – ‘Preconceito Racial e Social’
A vida de negros e pobres
É como uma criança
Que já não se espanta com a realidade.
Realidade esta que nos submete
Aos luxos de seus povos.

Uma nação que não se importa
Com sua geração, cujo coração
É submetido a teores elevados
De raiva e maldade,
Sacrificando herdeiros de sua própria carne.

Pessoas lutam contra si mesmas
Tentando mudar para se adaptarem
Ao ambiente causado por este mundo hipócrita...
 

7 - Gerson de Souza Oliveira – ‘Poema’
O negro é esperto
E cheio de esperança!
O negro é alegre
E amigo de confiança.

Eu sou um negro
E me orgulho de mim.
A minha vida é alegre
E eu me vejo assim.

A minha família é negra,
A minha família é negrinha!
Se escrevo este poema
É porque eu gosto de todos com carinho.


8 - Jacimara Ramos – ‘Preconceito’
É um problema mundial
Seja pela cor ou pelo social
O preconceito é do tamanho de uma semente.
Está sempre escondido na cabeça de muita gente.

Muitos não conseguem assumir a sua cor
Dizendo: “Eu sou mulato, moreno, marrom bombom...”
Na pobreza ou na riqueza, seja como ou onde for
Temos que aprender a assumir a nossa cor.

Muita gente vive à margem da Sociedade
À procura de emprego, saúde e dignidade.
Nossos filhos precisam estudar
Para chegar a algum lugar,
Pois muitos se destróem se viciando,
Matando e roubando.

Por isso pedimos de todo o coração
Cuidem bem dos nossos jovens
Que são o futuro da nação!


9 - Jadison F. Porto – ‘Preconceito Racial’
O nosso país é formado por algumas misturas de raças, que se ori-ginaram dos mestiços, raças essas que criam polêmicas, curiosidades e pesquisas, pois muitos não sabem reconhecer a sua “raça ou cor”.  Pois nesse país é difícil reconhecer quem é completamente negro, amarelo, pardo ou branco.
Porque num país de mestiços difícil é reconhecer quem é de fato negro.
Pois a maioria dos negros nos seus pigmentos sangüíneos existem linhagens indígenas.  E nos que se dizem “brancos” existem traços de pessoas negras e outros pequenas “linhagens indígenas”.
Como posso dizer “sou negro e tenho traços indígenas?!
Pois deixo uma pequena mensagem:
O maior preconceito está dentro daquele que não conhece os seus antepassados, e desconhece as suas linhagens.


10 - Josimar P. Sales – ‘Preconceito Racial’
O preconceito racial no Brasil
É uma coisa maquiada por muitos;
Pessoas que dizem não ser racistas,
Mas no fundo o são.

O preconceito não só o racista,
Mas todos eles são uma coisa muito errada,
Porém eles existem.
Precisamos acabar com isso logo.

Precisamos acabar de uma vez por todas,
Antes que presenciemos
Várias coisas que não podem ser boas...


11 - Leide Lúcia – ‘Poema Sobre o Negro Brasileiro’
Sou negra da raça
E não nego minhas origens.

Desde o nascer do sol
Até o cair da noite
Tento me conscientizar
De como vim parar
Neste imenso lugar.

E tentar me integrar
Nessa sociedade tão racista;
Porém se olharmos bem,
Nós é que temos
Nem que seja um vestígio
De raça negra
Em nossa árvore genealógica.

Não negue suas origens,
Seja negro sim
E com muito orgulho do que você é!
Supere seus próprios preconceitos...


12 - Luciene Antunes – ‘Preconceito: O Câncer da Sociedade’
Negro, negrinho, negrada
Quando se juntam só fazem cagada!
Se você sorriu e achou graça, saiba que
Cometeu a maior desgraça.
Preconceito racial é inviável
É crime inafiançável.

Ao ser preso, conhecerá outra realidade.
Um dos maiores preconceitos da sociedade
(Refiro-me ao preconceito social)
Será tratado pior que um animal.
Aquele que o exclui de toda e qualquer liberdade.
Não lhe restará nem a felicidade.

Por ser pobre não terá direito de freqüentar certos lugares
Como bons colégios, ambientes turísticos
E  até mesmo alguns bares.

As diferenças se fazem
Dentro de nós, Seres Humanos.
O que nos leva a pensar
Em sermos melhores que os bichos insanos?


13 - Rafaela da Silva Costa – ‘Preconceito Racial e Social’
Vivemos num país de racismo
Vivemos cheios de rancor
Por isso devemos dizer não
Aos racistas.

Nosso país é cheio de problemas sociais,
O nosso país deveria dizer não
Aos problemas sociais --- resolvendo-os logo!

Por isso queremos
Sempre conviver
Em um país cheio de “Paz”.


14 - Rejane da Silva Conceição Pereira – ‘Preconceito Racial e Social’
Preconceito racial não tem igual
Preconceito social é desigual
Desigualdade machuca cruelmente,
Às vezes fere as nossas mentes.

Precisamos nos unir
Para quem sabe?
Construir um mundo bem diferente
E conseguir ferir menos nossa mente.
Claro, iremos guerrear
Mas com certeza no final brilhar!


15 - Wallace P. Nogueira – ‘Conselho Racial’
Coisas como o racismo
São as que mais me encabulam.
O ser humano não pode ser racista, mas é.
Negros e brancos são todos iguais,
O que muda é a cor.

Sabemos que racismo é crime, mas não respeitam:
Escolas, empresas, em todos os lugares
Existe essa discriminação.
Legal seria se não houvesse.
Homens, mulheres, crianças, precisamos
Respeitar os negros.
Ou então coisas piores podem acontecer.

Racismo é crime
Em qualquer circunstância.
Como respeitar?
Ignorar a cor
Assim será
Legal e melhor.

                       
17 – Victor C. Couto – ‘Liberdade’
Nas noites sombrias
Nas madrugadas frias
Um negro solta o seu canto
Liberdade!  Liberdade!

Quando o mundo adormece
E a selva de pedra te esquece
O negro solta o seu canto
Liberdade!  Liberdade!

Em um mundo fanático
Nas cinzas da escuridão
Às margens da escravidão, sem senzalas
O negro soltou o seu canto
Quebrando o seu pranto
Esperando a liberdade chegar.

Mas só de sacanagem
Um pouco mais vou esperar
Par ver a liberdade
Se é que ela virá.

###########################################################

                               Fim
Literatura Cabofriense
Enviado por Literatura Cabofriense em 25/12/2006
Reeditado em 29/12/2006
Código do texto: T327694
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Literatura Cabofriense
Cabo Frio - Rio de Janeiro - Brasil, 466 anos
13 textos (1238 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 01/11/14 01:21)



Rádio Poética