Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Pastos verdejantes de alegria

Caminhando por pasto verdejantes de alegria
Encontro uma mulher que me contagia
Com sua beleza enfurnada em sua face

Sua pele como a pétala de uma rosa
Seu perfume meche com meu olfato
Aguçam os meus sentidos
Como o pólen de uma flor
Que se chamam lírios
Assim que por seu nome chamado
Deixa-me anestesiado

No ancoradouro das poesias
Encontro teu amor andando
Penso, será que está vagando Como um cão sem dono?

Deixa eu te dar a lua de presente
Deixa eu te mostrar o céu
E te dizer que tudo foi criado tão recente
Deixa eu te levar pro mar
Beijar-te e te cantar
A musica que te farás dançar
Em volta de uma fogueira
Ou em sua casa perto da lareira

Olhe para min
O passado não é tão ruim
Fazendo a comparação
Entre os arranjos de rosa que guardei para ti
E o beijo extasiado que te deram

Seja mais do que um amor
Deixa eu te dar meu clamor
Louvar a tua beleza
Beijar teus pés e te chamar de realeza
Jaz em seu peito habita ninguém
De ninguém pra ninguém
Você ainda ama muito outro alguém
Entregue-se no calor ou no frio
Como o vai e vem dos rios

Lembra? Aquela noite?
Quando o mundo parou
Os pássaros engoliram suas canções
E as rosas floresceram mais rápidas
As estrelas se esconderam
Naquele momento mágico
Onde um beijo teu roubei
E teu coração, me apoderou.
E agora? Veja como tudo está tão trágico
As Rosas perderam as cores
E os seus perfumes não são mais os mesmos

Dado em fim que tudo chega ao fim
Nada é pra sempre
Mais tudo é tão belo quando se sente.

"Pseudés"

- Poesia do Arcadismo.
- Primeira produção em 2006.
Geovanny Lino Coutinho
Enviado por Geovanny Lino Coutinho em 04/09/2007
Código do texto: T637750
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Geovanny Lino Coutinho
Olinda - Pernambuco - Brasil, 27 anos
32 textos (919 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/17 10:32)
Geovanny Lino Coutinho