Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Maria Lua Lúcia


Louca, a mulher olha a lua.
Embevecida, hipnotizada, a alma nua
Viaja por galáxias distantes
relembrando (ou inventando) improváveis amantes.

Seu dualismo fantástico é tema
dos versos não escritos de invisível poema.
Define-se ao rasgar o espaço:
sua língua é ferina, é temperado aço e,
em seu hermetismo,
quando se ressente do inevitável mal,
mesmo escondida, chora sua alma de cristal.

Invejável amálgama: aço e cristal,
a velha dama pouco liga para a intriga
ri-se da ignorância que campeia.
Dê-lhe fósforos e a cidade se incendeia.

---------------------------

Versos escritos para a última nobre de Ouro Fino. Maria Lúcia do Prado Rossi, legítima representante da legítima burguesia. Senhora de sua loucura, lúcida e sábia, máscara de crueldade que distribui benesses fingindo aplicar a chibata.
Mauro Gouvêa
Enviado por Mauro Gouvêa em 04/05/2006
Código do texto: T150100

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Mauro Gouvêa - www.recantodasletras.uol.com.br/autores/maurogouvea). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Mauro Gouvêa
Alfenas - Minas Gerais - Brasil, 51 anos
432 textos (56514 leituras)
3 áudios (837 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 04:03)
Mauro Gouvêa