Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto


Na minha Rua "

Evaldo da Veiga



Na minha rua um mundo de simpatia,
gente alegre que se estimam
Movimento maior pela manhã
e na hora de retorno do trabalho,
ninguém foge do batente,
vai bem alegre e volta contente

À única coisa que não harmonizava,
era uma chácara com muitos frutos
que maduravam no pé,
e caiam para apodrecer no chão

Inútil bater palma o dono não vinha
e, quando vinha, se recusava em atender pedidos
A criançada olhava com jeito de pidão,
mas o dono não estava nem ai
Não dava não vendia e não trocava,
produzia tristeza e desilusão

Era a parte fraca da rua,
o único elo solto, fugindo do padrão
de cortesia e fraternidade
Causava tristeza e até depressão,
nem tanto por deixar de comer tantas
frutas diversas,
sim vê-las maduras jogadas ao chão
A cerca de arame farpado protegia
a ausência de proteção

Mas um dia a tristeza se foi,
Dona Mariazinha a Rezadeira
mostrou o que todos viam sem ver,
as frutas bicadas pelos pássaros,
num sinal claro que para eles era alimento
Daí, se começou a reparar nos sanhaços,
Sabiás, Trinca Ferros, Bentevis,
uma diversidade imensa de pássaros
que embelezavam a Rua
O Senhor Chico Horror, dono da chácara,
passou a se chamar, Senhor Chico do
Amor

evaldodaveiga@yahoo.com.br
Evaldo da Veiga


evaldodaveiga@yahoo.com.br
Evaldo da Veiga
Enviado por Evaldo da Veiga em 29/09/2006
Reeditado em 28/04/2011
Código do texto: T252053

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Evaldo da Veiga
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil, 73 anos
952 textos (313617 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 09:37)
Evaldo da Veiga