Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Às almas irmãs



Nada mais lindo do que uma alma irmã
Sentimos que nossa busca não é vã
e não é vã a esperança.
Crianças que somos brincamos de ciranda
e o tempo disfarçado em horas anda
e quando percebemos já é tarde.
Arde a chama do que fomos um dia
a inesgotável força da rebeldia
e a infinita inspiração do poema.
Pena que o tempo passa de arrasto
e o que era floresta vira pasto
e chão bruto de solo repisado.
Enfado, é tudo que sentimos então
teria se esgotado aquela paixão?
E sem resposta dormimos o sono dos justos.
Sustos nos acordam no meio da noite
sentimos o frio do açoite
e nossa pele se ressente.
Acende pois o candeeiro para a chama breve
carregue o tinteiro e que a pena lhe seja leve
para escrever o que a vida te cobra.
Eis aí a tua obra.
Adormece.
Mauro Gouvêa
Enviado por Mauro Gouvêa em 30/09/2006
Código do texto: T253173

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Mauro Gouvêa - www.recantodasletras.uol.com.br/autores/maurogouvea). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Mauro Gouvêa
Alfenas - Minas Gerais - Brasil, 51 anos
432 textos (56493 leituras)
3 áudios (837 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 01:29)
Mauro Gouvêa