Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ROSAS SIMBÓLICAS

Autora – Regilene Rodrigues Neves

Trouxe-lhe uma rosa branca de Paz
Colhida da minha alma
Traz harmonia, serenidade,
Em leito de ternura e afeto
Trouxe-lhe também
Uma rosa amarela
Simboliza minha amizade!

São rosas plantadas pela alma
Regadas de amor
Hoje colhidas em gesto singelo
Por alguém que nunca viu,
Mas que transforma a vida em versos
Para criar elos de Poesias no mundo!

Este é meu intento ao chegar a você
Trazendo-lhe rosas
Porque me são símbolos expressivos
Das belezas ofertadas pelo Criador
Formas únicas de Amor

Tecidas na face de uma pétala
Ricas em pigmentos que constroem
Perfumes diferenciados a cada personalidade
Que em imenso universo se espalham...

Naveguei mundos para te encontrar
Externo minha felicidade
Ao saber que você existe
Por isso trago essas rosas para lhe dar!

Quantos de nós espalhados
Transeuntes na vida
A espera de uma rosa
Que simbolize mais amor
Mais gestos mais amigos
Que se aproximam sem nada exigir
Apenas pelo prazer do outro existir.

Chego-te assim
Porque sinto tantos precisando de carinho
E talvez eu possa confortar-lhe em palavras
De amor da minha alma
Que nada me custam
E podem fazer-lhe saber que em algum lugar
Existe alguém pronto a lhe amar
E a oferecer rosas simbólicas de Amizade, Amor e Paz!

Em 22 de outubro de 2006

Recebam essas rosas simbólicas em abraço de carinho e amizade!
regipoeta
Enviado por regipoeta em 22/10/2006
Código do texto: T270975

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
regipoeta
Goiânia - Goiás - Brasil, 54 anos
1312 textos (134323 leituras)
22 e-livros (7176 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 22:39)
regipoeta