Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Talvez seja a chuva...

Ah, quem dera não desejar estes mares
de ondas que oscilam em quereres,
de suspiros e desejos,
traduzidos por toques e olhares...

Distante se faz o tempo
de eras leves e felizes,
quando éramos ternos
e jovens aprendizes.
 
Onde deixei o amor?
Talvez, esquecido nos meus lamentos
entre as lágrimas da solidão
de noites vazias, sem calor.
 
A saudade é constante, nostálgica...
Saudade da adrenalina,
de sorrir por nada,
cantarolar versos sem rima.

É inverno neste coração,
neste corpo que aguarda
para ser primavera e verão,
sublimar nas águas do prazer,
arder no fogo da paixão.
 
Talvez seja a chuva que cai lá fora,
molhando com pingos ruidosos a vidraça,
fazendo-me sentir a hora,
a noção do tempo que passa,
sentir o desejo do amor
querendo voltar para casa...
Regina SantAnna
Enviado por Regina SantAnna em 22/01/2006
Código do texto: T102273
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Regina SantAnna
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
24 textos (1397 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 02:40)
Regina SantAnna