Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ETERNA AMADA MINHA

Como te adorar querida deusa minha?
Se não te instalar nos panteões terrestres
Prefiro neles, eterna amada minha.
Não sei se existem panteões celestes.

Nasci da terra, como tu nasceste.
A ela voltaremos no fim de nossos dias.

Mesmo sendo este retorno em diferentes dias.
Nossas partículas atômicas se unirão em magia
Prótons e elétrons de nossos corpos um dia
Formariam com certeza nova sinergia.

Transmigraríamos unificados no universo eterno.
No cosmo infinito como fontes de energia

Antes, contudo, deste encontro tido.
Na mãe terra finita, prazeroso seria.
Reencontrar-te querida deusa minha
E venerar-te como fiz por dias.

Unidos outra vez querida amada minha
Escolheria um belo panteon terrestre
Permanecendo nele até o fim dos nossos dias.
Pois, não sei se existe um panteon celeste.

16.02.2006
Tadeu Costa
Enviado por Tadeu Costa em 16/02/2006
Código do texto: T112788
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Tadeu Costa
Recife - Pernambuco - Brasil, 73 anos
97 textos (7724 leituras)
2 e-livros (226 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 06:06)
Tadeu Costa