Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Online



Ontem na madrugada silenciosa e fria

Navegando nos mares da solidão

Olhei para minha lista de amigos

E lá estavas de prontidão.


Nem sequer sei o teu nome...

Se és mentira ou verdade

Se assumes tua historia

Ou vives na irrealidade.


Só sei que na visão daquele estranho  Nick

Que nem sei como pronunciar

Meu coração bateu mais forte

E vi refletido na telinha , o brilho do meu olhar.


Que coisa mais engraçada

Quando penso que pequenino

Vivia um conto de fadas

E hoje no ocaso da vida , retorno a   ser  um  menino.


Brincando de esconde , esconde...

Igual como era antes quando descalço corria

Buscando voar no espaço

Tal é qual os heróis  que via.


Agora ninguém tem nome

São estrelas ao luar

Iguais ao vento que passa

E não posso alcançar.


Minha mocinha  dos filmes

Que amei e quis casar

Chorando ao vê-la sofrer

Querendo lhe acalentar.


Mas a pureza   que um dia minha alma acolheu

Revela-me mais uma vez

Que não és mais que um sonho meu.


Sei que já não es, mais tão pura

Como também fui um dia

Mas carregas contigo o sublime privilégio

De ser filha de Maria.


Mulher que ilumina veredas

Que da a luz a sorrir

Por mais amor que te possamos  dar

Nada poderá pagar  a gratidão que te devemos...

Pela vida alcançar.















FalcaoSR
Enviado por FalcaoSR em 15/04/2005
Reeditado em 27/04/2005
Código do texto: T11452
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (* Falcão S.R * www.LuzdaPoesia.Com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
FalcaoSR
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
202 textos (26765 leituras)
7 áudios (1511 audições)
8 e-livros (331 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 22:54)
FalcaoSR