Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Dois anjos

O velho casarão que heras veste,
tem, bem lá no alto, desfigurado,
um janelão de riga inda talhado
com a rústica escultura do agreste.

Ali naquele quarto um anjo adormecia
enluarado e até o vendo se fazia
de cansado pra ventar bem de mansinho
quando ela suspirava pelo mancebo da flauta.

Fúlvido cabelo em desalinho,
ele vinha toda a noite, noite alta,
para decantar a doce criatura,
tão formosa como flor de rosmaninho.

Encantava-se com a voz de cotovia
que lhe permeava, mesmo das alturas,
a ali a noite deslumbrada adormecia.
Hoje o casarão entranhado nas ranhuras
das escarpas colhe a noite em pleno dia.

Derruiram-se as vigas, torres de granito,
e o tempo lá se vai, derramando o infinito.
Se ontem foi pintura retratando dois amores,
hoje ninguém lembra de dois anjos sonhadores.
Chaplin
Enviado por Chaplin em 23/06/2006
Código do texto: T181117
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Chaplin
Rio Grande - Rio Grande do Sul - Brasil, 71 anos
420 textos (28741 leituras)
1 áudios (130 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 01:31)
Chaplin