Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A balança

Eu consigo me resumir ao ponto mais infimo da existência
Ser lixo bem acalcado para não ocupar espaço
Consigo ser dor em cada centimetro de meu corpo
Ser corda ao pescoço, lâmina nos pulsos...

Tu consegues me expandir, me fazer infindo, além de um ponto
Sabes ir buscar ao lixo a minha vida amarrotada e clamá-la
Consegues ser amor em cada milímetro da minha alma
Ser apoio e alegria, escova nos cabelos, carinho no rosto...

O meu maior desgosto é este meio termo, é este não ser nada
É este estar, este ficar sentado olhando uma balança equilibrada.
É ver-te sentada num prato e eu no outro esperando
Que em algum momento de desiquilibrio te precipites me amando.
TrabisDeMentia
Enviado por TrabisDeMentia em 30/07/2006
Código do texto: T205165
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
TrabisDeMentia
Portugal, 39 anos
54 textos (2526 leituras)
3 áudios (469 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 16:37)
TrabisDeMentia