Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Teu Corpo

Tuas mãos nas minhas são como duas peças que se encaixam:
Perfeitas, divinas;
Conduzem nosso amor como dois fios de luz.

Teus braços em meu corpo são como laços, correntes...
Me prendem a ti, me amarram, me protegem e me consolam, te aproximam...

Teu peito, onde está teu coração, é para mim como uma almofada macia, onde encosto meu rosto e repouso; Teu coração canta para mim, enquanto sonho com lugares mágicos...

Teus ombros são janelas:
No abraço espio por elas e vejo um mundo lindo, cheio de amor e felicidade...

Teu pescoço... É para mim como é para vampiros:
Me atraem, e ali deposito minhas carícias, onde derreto-me, onde derreto-te...
Somos doces.

Teu rosto é tudo e todos; o mundo e o universo:
nele há campos verde, cidades agitadas, praças, estradas distantes...
E também há o céu. com suas estrelas, e nuvens por onde ando;
Há o Sol para esquentar e iluminar nossos dias, Lua que embala nossas vidas e clareia nossas noites...
Nele há tua boca:
No beijo trocamos segredos incomunicáveis...
E para os que podemos falar, existem os ouvidos...
Trocamos juras de amor eterno ao pé dele...
Há também teus olhos:
São como o Sol, como pedras preciosas:
Elas brilham, piscam, me aquecem, tocam minha alma...
Contam sobre histórias de tempos remotos, vidas passadas, e sorriem...

Continuo a observar-te e vejo teus pés e tuas pernas:
teus pés são como rodas de um carro, tuas pernas, quando eu te ligo no automático elas te trazem para mais perto...
E depressa.

E teu colo?
Bem, teu colo é para mim como uma cama onde posso repousar novamente...
Após termos transmitido nosso amor;
após ter sido acorrentada;
ter viajado a um mundo diferente;
ter sugado teu sangue doce...

Após ter corrido por campos verdes, andado por ruas e praças, voado até o céu, onde choveu, onde o Sol me esquentou e onde colhi estrelas e andei sobre nuvens...
Também descobri minas repletas de diamantes, mais caros do que os que há por aí...
Cansei-me trocando segredos, dirigindo-te, conduzindo-te...
Teu colo é onde repouso;
Teu corpo todo para mim é tudo;
E teu corpo com o meu é também o templo onde encontro-te solitário... E me encontro...
Onde te vejo, meditando...
Tu como és, e corro até ti;
Ali é onde nossas almas se ama, e descobrimos outros mundos...
Teu ser, a primeira vista, é tão simples, tão comum...
Mas é tudo o que minha alma deseja, onde tenho tudo o que preciso, e onde eu posso me encontrar...

Meu amor, tu és para mim a minha casa.

(XDDDDDDDDDDD)
Alecrim Crim
Enviado por Alecrim Crim em 22/08/2006
Código do texto: T222764

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Dou os créditos a Julhana Pohlmann pois só ela entende seus textos. Visitem seu site no Recanto das Letras!). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Alecrim Crim
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 27 anos
374 textos (14623 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 12:29)
Alecrim Crim