Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PARTIDA


Da forma como veio
Se foi sem deixar rastros
apenas lembranças ...

Como chegou em minha vida
Partiu...
E me fez chorar
Muitas vezes

E perder o sono
Outras tantas vezes
Pensando em como estaria
Se precisava de alguma coisa
Se eu poderia ajudá-lo
Ou se o prejudiquei

Saiu da minha vida
Provando assim como
Um homem pode ser tão
Cruel às vezes
Com uma mulher

E no silêncio da tua ausência
Aprendi que o melhor
Era deixar-te ir
Pra que talvez eu pudesse
Recuperar minha lucidez
E a paz que perdi
Não sei bem em que momento
Dessa nossa “convivência”

Simplesmente “deixou pra lá”
O que de mais profundo
Eu já senti por alguém
Em toda a minha existência

E eu fiquei aqui
Sem chão
Sem ar
Sem vida
Sem mim mesma

Tentando entender o que
Estava acontecendo
Tentando encontrar
Respostas pra tantas perguntas

E se foi assim
Sem ao menos dizer “adeus”
E também não me mandou
Esquecer
Não desatou o laço
Que me prende a você

E eu continuei esperando...

Esperando por um milagre talvez
Fantasiando tua volta
Que pode nunca acontecer
Aguardando um sinal
Da tua presença

E os dias se passam
As semanas se vão
Os meses correm
Sem que essa dor
Que me corrói o peito
Se vá embora de uma vez

Me parece então
Que esse amor,
Nem o tempo há de apagar
Porque estará sempre aqui

Quando te perdi?
Não sei!!!
Talvez nunca tenha te conquistado
Apenas me iludi

Inventei um relacionamento
Que nunca aconteceu
A não ser em minha imaginação
Porque pra ti, tudo não passou de
Nada

E hoje meu coração
Já não tem mais a alegria
Que tinha antes
De tudo isso acontecer

Meus lábios
Já não esboçam o sorriso
Límpido de antes
Porque não mais querem sorrir
Porque não tem motivos pra isso

E tanta amargura
Meu Deus
Será que um dia vai passar?

Será que um dia vou recuperar
A vontade de estar viva?
Será que as coisas voltarão
A ter sua importância
Em minha vida?

Até quando vou poder
Suportar essa força
Que aqui dentro me
Impele pra essa saudade?

Será possível que
A tristeza que hoje me faz companhia
Diariamente, um dia
Vai me deixar também
Assim como você me deixou?

Será que um dia
Vou poder caminhar
Pelas ruas sem procurar
Você nos homens
Que vejo

Será que vou ter que
Continuar seguindo
Sozinha sem a chance
De um dia olhar
Pro céu e perceber novamente
Sua beleza e esplendor?

E quantas luas ainda
Terei que evitar olhar
Pra não chorar
Pensando em como seria bom
Se estivesses comigo
Desfrutando desse momento

Quantos casais vou ter
Que desviar do meu olhar
Pra não lembrar
De nós dois que nunca acontecemos

Quantas músicas vou
Evitar ouvir pra
Não identificar nossa estória e
Não chorar de saudade

Com quantas lágrimas
Ainda vou construir
Meus dias de luta diária
Tentando te esquecer?

E quantas vezes
Ainda vou ter que
Dizer pra mim mesma
Que devo esquecer-te
Sem que isso aconteça realmente?

Quando você partiu sem dizer
Adeus, tudo ficou
Muito alheio
E eu fiquei sem chão

A mim me parece que
Foi hoje que você partiu
E não me disse adeus
E não olhou pra trás
E me fez sentir
Como algo muito insignificante

Que partida cruel a tua!!!



Zair Batalha
07/03/2006 – 21: 51hs



ZAIR BATALHA FERNANDES
Enviado por ZAIR BATALHA FERNANDES em 23/09/2006
Código do texto: T247698
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
ZAIR BATALHA FERNANDES
Ceilândia - Distrito Federal - Brasil, 52 anos
43 textos (2793 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 00:45)
ZAIR BATALHA FERNANDES