Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PALAVRAS-LÁGRIMAS

 
Como se fosse uma criança cega
Me deixei conduzir, aos tropeços
Para longe de ti.
Quando conta me dei
Havia uma barreira entre nós
Um fosso abismal
Que chupava neve
Que tragava rios colossais
Alargando a imensidão que nos distava.
Eu era só frio, e a noite precipitava
Como se fosse uma cortina de sombras
Ou um véu fúnebre
Que desbotava, as palavras-lágrimas
Emudecia minha boca e
Te calava
Ou se preferes, tua doce boca
Na minha se azedava
Na estação da despedida.
Antonio Virgilio Andrade
Enviado por Antonio Virgilio Andrade em 25/09/2006
Código do texto: T249057
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Antonio Virgilio Andrade
Riacho Fundo - Distrito Federal - Brasil
152 textos (16227 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 08:31)
Antonio Virgilio Andrade