Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A LENDA DO CUPIDO

Um anjo no céu,sonhando,
Desejou provar o amor na Terra.
Vestiu-se com um véu,tomando
Um aspecto humano e desceu
Entre sagrado e profano.
E então sondando o que de secreto havia,
Ouviu dentro de si um estalo,
Eram as asas se fechando,era o corpo se abrindo
Para a profunda letargia da alma,agora adormecida
Para as glórias do céu e de Deus.
Disfarçado de humano igual,
Procurou na Terra a semelhança
Do seu amor imortal.
E eis que o que vê não vê nem sonha
A musa em si passando,somente a sombra leve e esguia
De uma angélica figura,perversa e casta...
Tenta o anjo,roça-lhe as asas
Imaculadas,puras,que bem sabia
Que olhos celestes,secretos,a seguia.
Depois de alimentada a chama,
Em desprezo a sombra foge,
Mas o fogo agora experimentado
Pelo anjo,torna-o escravo
Daquilo que descobrir queria:
O amor humano,o pecado inicial da paixão.
Agora,com o segredo no peito,
Sente o primeiro pulsar,desfeito,
A faltar-lhe o coração.
E louco,louco,grita o nome imaculado
Do amor que o pôs insano...
De repente,entre lágrimas,rouco,
Sente o coração arrancado
Nas garras do amor profano.
Foge à sombra que seguia,
Fecha-se à própria sombra enegrecida
Por pensamentos loucos,loucos,
Louco,no coração não havia
Motivos para pulsar a vida.
E quanto mais grita,e quanto mais corre,
Mais cresce a sombra em formosura,
Sente que já a um passo da loucura
Em todas as pessoas ele vê
A sombra que o mata com ternura.
Busca num último gesto os olhos da amada
E vê no fundo deles a sombra vil,perfeita,
É ela,é ela,a imaculada vindo buscá-lo!...ele aceita
Os braços do amor,estendidos,
E sente,nunca antes acontecido
O toque do amor imperfeito
Fazendo vibrar em loucura
A forma angelical desterrada.
E sente que a sombra anima
Um corpo,mulher,menina,
Sobre a ilusão que o matava
Mais com amor que com ternura.
Vigia o céu a figura
Do anjo-homem transtornado
E vinga-lhe o pecado
Do sentimento mais puro.
Tira-lhe as asas,rouba-lhe o arco,
Deixa-o em si,inseguro,solto à sombra,agora cego.
O anjo tomba pálido,pálido como o enigma dos sábios.
Tomba morto,morto,trágico,não mais anjo,homem,mágico,
Cai no enigma dos sábios,
Tomba morto,morto,tácito,
Com um sorriso nos lábios.
Gilberto de Carvalho
Enviado por Gilberto de Carvalho em 16/10/2006
Reeditado em 14/08/2009
Código do texto: T265748
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Gilberto de Carvalho
Pirajuí - São Paulo - Brasil, 44 anos
299 textos (13349 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 01:07)
Gilberto de Carvalho