Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DELÍRIOS NOTURNOS

É noite, a solidão impera
O tempo já não existe;
Mais um amanhecer vem nascendo
Na vida de um homem triste.

Ah, mulher, se surgisses do nada
Envolta do teu calor
Para abraçar-me de súbito
E dizer-me murmúrios de amor.

Se viesses sonhar comigo
Acordada no meu leito,
Adornada em renda fina,
Deitar-se sobre o meu peito.

Roçar estes teus lábios
Ávidos para encontrar
Os lábios que te desejam
Sedentos por te beijar.

Ah,que triste delírio
Que sonho maravilhoso
De tê-la sob o meu corpo
Entregue ao prazer e ao gôzo.

Ao desejo de corpos sedentos,
Ao desespero de avassaladora fome,
À gana libidinosa
Ao fogo que nos consome.

Selvageria, insanidade
Volúpia de amor e fúria;
Suor, saliva, disritmia,
Cheiro de sexo e luxúria.

Orgasmos, espasmos, vida,
Pulsações descontroladas;
Respirações ofegantes,
Os braços de minha amada.

Contrações, sensações fortes,
Uma deliciosa letargia dominando;
Nossos corpos totalmente entregues
Em suaves movimentos relaxando.

Onde? Quem sabe? Não me acorde!
Contemplo teu gozo, teu riso;
No sonho sou rei, posso tudo,
Sou dono do paraíso.

Até que o dia se levante
E a noite leve meus devaneios;
E eu perca de vista teu rosto,
E não encontre teus seios.

Mas anoitecerá novamente
E o delírio me trará tua lembrança,
E te amarei dia após dia
Enquanto houver esperança.
Danilo Macedo Marques
Enviado por Danilo Macedo Marques em 08/11/2006
Código do texto: T285451

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Danilo Macedo Marques
São Paulo - São Paulo - Brasil, 42 anos
59 textos (11376 leituras)
1 áudios (182 audições)
3 e-livros (1731 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 11:04)
Danilo Macedo Marques