Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

LIMITAÇÕES DA POESIA

Onde estão aquelas mulheres
Que foram tocadas pela poesia
Em quem esbarramos palavras
E depositamos melodia?
Não me refiro as que encontramos
Nas festas e bailes da vida
Nem aquelas que muito amamos
E fizemos depois despedida...

Refiro-me as que não nos viram
E que até deixaram de receber
Uma imagem de presente.
Só nos viram pelas palavras
E delas tiraram as travas
Pra sentir o que o poeta sente.

Ah, essas mulheres que um dia
Tiveram seus olhos voltados
Para as canções e baladas
Que de nosso imo brotaram...
Revestiram-se de alegria
Em corações enamorados
Sendo por nós embaladas
E no amor que devotaram...

As tantas que nem sabemos
Sequer onde elas estão
Que nos olharam com uns olhos
Chamejantes de paixão.
E cujos corações sensíveis
Nossas palavras-poemas
Depositaram sementes
(Isadoras, Iracemas)
Para formar novas gentes
(Julietas em profusão...)
Que nos amam sem serem amadas
Só porque nossa poesia
Deu-lhes nova alegria...
E com olhos apaixonados
Lêem poemas rabiscados
Nas páginas de seu coração...

Não sabem se é sonho ou real
Tudo o que lêem da gente
Mas para elas o virtual
Funciona como remédio:
Paliativo pra vida,
Companhia pra solidão,
Esperança de noites insones,
Carregadas de emoção.

Esperam estas lindas mulheres
Que viajam em nossas palavras
Povoar o mundo dos sonhos
De encanto e fascinação.
Não sabem se as amaremos
Ou mesmo se nos amarão.
Só sabem que palavras bem ditas -
Benditas palavras que são -
Fazem de nossa poesia
Como o sol num novo dia
Um novo brilho, clarão!

E de esperança e de fé
Mulheres que são sensíveis
Desnudam a alma dos poetas
Às vezes um tanto risíveis.
Mas como são nossas musas
Princesas de uma constelação
Estrelas de um reino distante
Sob poderio da inspiração.
Elas seguem por entre linhas
De palavras e seus fonemas
Da vida esquecendo as rinhas
Sob o poder dos poemas.
E fazem essas mulheres -
Com sua imaginação –
Do alto de suas janelas
O que não fazemos não!
Elas fazem pelos poetas
O que não fazemos por elas
E nem temos como metas...

O que a distância não deixa
E sem fazer qualquer queixa
Dão-nos sorrisos tão belos
Propondo-nos seus anelos.
Elas são de beleza fugaz
Fonte nobre de inspiração
E dão-nos de sua paz
Com a força da paixão.
Seguem sequer sem saber
Se ainda serão nossas musas
E mesmo um tanto confusas
Lerão nossas poesias...
E essas mulheres tão lindas
Viverão suas fantasias
Nos tornarão os seus deuses
Criadores de harmonias.

O mundo dos poetas é o corpo
Da musa que tanto ama.
O mundo da mulher é a alma
Daquele que quer na cama.

E essas mulheres distantes
Próximas só nos poemas.
Continuarão de seus amantes
Motivos de tantos temas.
E sempre que o sol raiar
No alvor de um novo dia
O poeta que sabe amar:
- Da mulher fará poesia!
Alex Guima
Enviado por Alex Guima em 10/11/2006
Reeditado em 10/11/2006
Código do texto: T287326
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Alex Guima
Eunápolis - Bahia - Brasil, 43 anos
177 textos (112787 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 12:19)
Alex Guima