Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

OS VERSOS QUE TE ENTREGO...


Sempre quiseste meus versos...
Nunca os dei. Porém, dentro do peito impressos
foram sempre meus fiéis companheiros!
Amigos inseparáveis desta solidão imensa,
que rasga as entranhas desta alma tensa,
prenhe de sonhos aventureiros!

Como são fraternos os meus poemas!
Nunca percebi... Entretanto, estes temas
vem de dentro de um sofrido coração!
Falam por mim deste amor imaculado,
que guardo ainda no peito enclausurado,
como guarda uma estrela a negra imensidão!

Falam por mim estas rimas sonoras...
Cantam, choram, riem... Quantas histórias,
desfolhadas no livro das amarguras!
Meu outono já surge intolerável,
mais tarde virá o inverno inexorável
amortalhando as derradeiras desventuras!

Portanto que poderia dizer neste dia sem vida,
quando a natureza derramando lágrimas de dor incontida,
parece entender meu eterno sofrimento?
Talvez dizer que te amo,
que sofro, blasfemo e reclamo
na solidão do negro arrependimento!

Não. Não poderia te dizer nada...
Pois penso no que foste em minha estrada:
Uma alma frágil que mãos tolas esmagaram num lamento!
Por isso clamo aos céus nos brados de quem sofre,
p!ra que adormeças no berço de meu pensamento,
qual jóia rara no escaninho de um cofre!

Nelson de Medeiros
Enviado por Nelson de Medeiros em 01/12/2006
Código do texto: T307211

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Nelson de Medeiros
Cachoeiro de Itapemirim - Espírito Santo - Brasil
493 textos (68710 leituras)
11 áudios (3028 audições)
1 e-livros (188 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/17 01:03)