Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ANA

A enfermeira não te mostrou a mim,
Não troquei tuas fraldas,
Nem te cobri de beijos.
Não te dei banho,
Nem ensinei a te lavar.
Não te levei à escola,
Nem ao circo.
Não te levei ao cinema,
Nem ao parque
Para brincar no tobogã.
Não te comprei bonecas,
Nem brinquei de casinha.
Não celebrei teus êxitos,
Nem lamentei teus fracassos.
Não vi teus seios despontarem,
Nem ouvi tua voz mudar.
Não te consolei
Das tuas decepções de amor.
Não choraste no meu peito,
Nem te aconselhei.
Não te amei como merecias.

Mas, agora,
que te tornaste a filha mulher,
De quem me orgulho.
A filha tardia
que sempre vou amar.

29/04/2005 – Porto Alegre.
Gabriel Solís
Enviado por Gabriel Solís em 19/08/2005
Reeditado em 20/08/2009
Código do texto: T43633
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Gabriel Solís
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 63 anos
93 textos (7229 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 08:09)
Gabriel Solís