Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O AMOR DE UM POETA

O AMOR DE UM POETA
Heraldo Lage

No início belas palavras de amor ...
No transcurso alguma adaptação ...
Na reta final inicia-se amargo sabor ?
Concluir-se por grande repreensão ?

O amor é um sentimento
Existente no ser humano
Sujeito a algum lamento
Não guarda lado profano

De escolhas não depende
A pessoa que a ele se rende
Simplesmente se vê laçada
Quem ama, pela pessoa amada

Realidade ... o que é a realidade ?
Algo que se vê exteriormente ?
Ou talvez a mais forte verdade
Que se vive e sente interiormente ?

Não seja, jamais, a fidalguia
Confundida com a fraqueza
Ou tudo perderia sua magia
E a grande força da natureza

É tão fácil um ser dizer ao mundo
Sobre tantos erros cometidos
E tão difícil é buscar no fundo
De si mesmo, os seus, incontidos!

Amor certo não se poderá escolher
Ama-se, simplesmente, não se clama
Sentimento que não se pode tolher
Ou tudo não passaria de uma trama

No amor, comércio jamais haverá
Não se engana quem de fato ama
Quem escolhe a quem, amor, dá
Busca negócio, lucros ou fama !

Quanta gente anda a confundir
Arte de Amar com apenas negociar
Amor pode unilateralmente surgir
Pois quem ama nada tem a exigir

Quanto à dor, se não se procura, encontra
Alento, no verdadeiro amor é que buscará
Sentimento puro e sublime não se afronta
Apenas, no fundo do peito se o guardará !

Ninguém, no amor, deve se obrigar a nada
Nem mesmo abrir mão de seu compromisso
Quando ama, tudo será como o conto de fada
Sem que para isso precise alguém ser omisso

Não há fala mais antiga ou moderna que o amor
Tranca o coração quem escolhe à quem entregar
Um sentimento tão puro e belo, repleto de calor
Coração de poeta está sempre aberto para amar
Sem jamais negociar uma beleza de tal esplendor
Ainda que não o entendam nas formas de se doar

Quem diz que no amor nada de bom acontece
Pode até mesmo achar que se ama a um ser, só
Mas, amar de verdade é como fazer uma prece
Não é como a corda que nos amarra por um nó

Quando tranco amor que sinto, em meu peito
É para que protegido esteja, em meu coração
Posso senti-lo forte quando estou em meu leito
Criando e cantando o amor em mais um refrão

Eu amo e sempre amarei ! O que sei é amar!
Se ainda adoro a todas que já amei
Jamais me negaria a quem me quer dar
Pois o que mais nesta vida busquei
Foi quem ouça minhas cantigas de amor entoar

Não é de ninguém, a Lua que tanto encanta,
Não se trata de desdita, é apenas realidade
Lua altiva, soberana, independente, acalanta
N'um misto de poder, nostalgia e felicidade

Se um poeta usa como exemplo, a linda Lua
Jamais estará a ela por seus prantos acusar
Expõe com beleza a sua verdade, então, nua
Mostrando assim em seus reveses saber amar

Quando um poeta depara-se diante da musa
Poetando por si seu amor aos quatro ventos
Tomado por surpresa em situação confusa
Transforma em felicidade os seus lamentos

Entrega então seu coração a mais um amor
Porque amando o poeta encontra lenimento
Brilhando como estrela de maior esplendor
Amante-musa-poetisa receberá seu acalento

Nova vida recomeça, não se para de explorar
Os caminhos de um grande amor verdadeiro
Quer-se apenas, tantos seres ... encontrar
Inda que se busque no universo inteiro !

Desistir, jamais !!! Seria isso um grande tormento
Viver distante do amor ... Triste verdade tão crua !
O amor de outrem é que traz um verdadeiro alento
A alguém, ainda que tenha o mesmo destino Lua !

Heraldo Lage
http://www.hlage.com.br
Em 17/08/2002 - 19:16 hs.

Cdor HeraldoLage
Enviado por Cdor HeraldoLage em 07/03/2005
Reeditado em 16/11/2012
Código do texto: T5901
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Cdor HeraldoLage
Santos - São Paulo - Brasil, 66 anos
46 textos (3464 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 15:08)
Cdor HeraldoLage